Topo

Testes e lançamentos


Toyota Corolla híbrido flex aparece camuflado em SP e chega em outubro

Alessandro Reis

Do UOL, em São Paulo (SP)

17/04/2019 11h42

Resumo da notícia

  • Sedã será 1º híbrido bicombustível do mundo
  • Produção segue em Indaiatuba (SP)
  • Toyota terá novos investimentos e desconto no ICMS
  • Base mecânica é do Prius
  • Versão híbrida conviverá com opções convencionais

A Toyota apresentou na manhã desta quarta-feira (17), ainda protegido sob camuflagem, o novo Corolla 2020, anunciado como o primeiro automóvel híbrido flex produzido em série do mundo. A data de lançamento será em outubro, conforme UOL Carros antecipou. A produção permanecerá na fábrica de Indaiatuba, no interior paulista, que passa por modernização com investimento de R$ 1 bilhão para produzir a 12ª geração do sedã. Outros R$ 600 milhões foram investidos na fábrica de motores em Porto Feliz (SP).

A apresentação aconteceu em cerimônia no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, com a presença do governador João Doria. O governador disse que a Toyota terá novos aportes em ao menos uma das suas fábricas instaladas no Estado (Indaiatuba, Porto Feliz, Sorocaba e São Bernardo do Campo) para projetos futuros.

Esses novos investimentos, afirmou Doria, deverão ser enquadrados no programa Incentivauto, que prevê desconto de até 25% no ICMS a montadoras baseadas em São Paulo.

Unidade do novo Corolla deixa claras as semelhanças com modelo europeu, apesar da camuflagem - Murilo Goes/UOL
Unidade do novo Corolla deixa claras as semelhanças com modelo europeu, apesar da camuflagem
Imagem: Murilo Goes/UOL

"Vamos começar a produção desse novo Corolla a partir do mês de outubro. A comercialização começará a partir do mês de outubro e a exportação, a partir dos primeiros meses de 2020", declarou o presidente da Toyota Brasil, Rafael Chang, no evento. A partir do primeiro semestre de 2020, começam as exportações para Argentina, Paraguai, Uruguai, Chile, Peru e Colômbia, informou.

"Híbrido mais limpo do planeta"

Por enquanto, a Toyota não revela detalhes técnicos sobre do novo Corolla brasileiro nem fala dos novos investimentos. Por meio de comunicado, afirma que o futuro lançamento "atende requisitos de eficiência estabelecidos pelo Programa Rota 2030". A montadora diz, ainda, que o novo Corolla "será o carro movido a etanol mais eficiente do país e o híbrido mais limpo do planeta".

Carro mundial, o novo Corolla foi recentemente lançado na Europa e nos Estados Unidos, trazendo pela primeira vez opção de tração híbrida, combinando motor a combustão com outro, elétrico, para poupar combustível e reduzir emissões de poluentes. A diferença é que nesses e em outros mercados, exceto o brasileiro, o propulsor convencional é abastecido exclusivamente com gasolina. A primeira aparição foi na China, em novembro do ano passado.

Base do Prius

Conforme já antecipamos, a configuração híbrida do Corolla brasileiro será opção topo de linha e vai conviver com versões convencionais, somente a combustão. Ela utiliza a mesma base do Prius, que teve uma unidade experimental convertida para flex como parte do desenvolvimento do sedã híbrido.

Não por acaso, o Corolla 2020 traz construção sobre a plataforma global modular TNGA, a mesma utilizada no Prius -- que segue importado do Japão.

Motor?

Na Europa e nos EUA, o Corolla sedã híbrido traz o motor 1.8 de 123 cv do Prius, com transmissão CVT. Porém, o mercado europeu oferece uma opção híbrida mais interessante, exclusiva das versões hatch e perua vendidas lá: 2.0 de 180 cv, também CVT. A Toyota faz mistério sobre qual será a especificação brasileira.

Vale lembrar que, a exemplo do Prius, o Corolla híbrido não é plug-in: as baterias são recarregadas com a própria movimentação do veículo, incluindo frenagens e desacelerações.

Em avaliação feita pela reportagem, o Prius teve média de 17,5 km/l. Resta saber como serão os números de consumo e desempenho do Corolla, especialmente com etanol no tanque.

Mais Testes e lançamentos