PUBLICIDADE
Topo

HB20 supera nova versão do Onix em venda mensal pela primeira vez em abril

HB20 Sense teve boa procura, de acordo com a Hyundai - Divulgação
HB20 Sense teve boa procura, de acordo com a Hyundai Imagem: Divulgação
Rafaela Borges

Rafaela Borges é jornalista automotiva desde 2003, com passagens por Carsale e Estadão. Escreve sobre o mercado de veículos, supercarros, viagens sobre rodas e tecnologia.

Colunista do UOL

04/05/2020 16h34

Em meados de abril, o HB20 liderou o mercado de carros no Brasil pela primeira vez. Porém, a vantagem não se confirmou no fechamento do mês: o carro da Chevrolet acabou ficando com a primeira posição.

Mas a Hyundai encontrou motivos para comemorar um outro feito inédito. Descontados os exemplares da antiga geração do HB20 e do Onix (que continua em linha, mas agora se chama Joy), seu modelo foi o mais vendido do Brasil.

Com isso, venceu o Onix na briga de novas gerações. Somando as unidades totais, o Chevrolet somou 3.619 emplacamentos, ante as 2.837 do Hyundai. Os dados são da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

Porém, de acordo com a Hyundai, sem as antigas gerações, o HB20 teve 2.729 emplacamentos, 83 a mais que o Onix. O resultado, porém, não pode ser considerado como um indicativo de que o Chevrolet passará a sofrer pressão do rival daqui em diante.

Por causa da pandemia, as concessionárias estão com atividades limitadas. Além disso, a maior parte dos Detrans do Brasil não está realizando emplacamentos - inclusive os dois maiores, em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Os números de vendas estão despencando. Em condições normais, o Onix se aproxima dos 20 mil emplacamentos mensais. O HB20, no ano passado, registrava até 10 mil emplacamentos por mês.

De acordo com informações da Hyundai, o resultado do HB20 é resultado de um contrato de vendas diretas com a locadora Movida. Ele faz parte de uma programação regular, cujas entregas não foram canceladas por causa da pandemia.

A fabricante informa ainda que houve grande procura pela versão Sense do HB20, que custa R$ 44.990.

Joy tem vendas somadas às do Onix

A convivência de gerações é comum no mercado brasileiro. Quando era líder, o Gol tinha somadas as vendas de sua mais recente geração às da antiga, o que acabava "calibrando" os dados de emplacamentos do carro.

Quando o Gol antigo saiu de linha, e foi substituído pelo Up!, o modelo da Volkswagen imediatamente perdeu a liderança, a qual jamais retornou. Outro carro que convivia com a geração anterior, e tinha emplacamentos somados, era o Fiat Palio (a versão antiga era chamada de Fire).

O próprio Onix passou por isso na geração anterior. Havia o Onix, com carroceria mais recente, o o Onix Joy, com visual antigo. Porém, com a chegada do modelo renovado, o mais velho passou a se chamar apenas Joy, perdendo o nome do líder de vendas.

Porém, apesar dos carros com nomes diferentes, a Fenabrave continuou divulgando os emplacamentos do Onix atual somados aos do Joy. Não fosse isso, o próprio ranking divulgado pela federação teria apontado o HB20 na liderança de abril.

Linha Onix e Tracker vão bem

Apesar de a Hyundai ter razões para celebrar seu feito inédito, a Chevrolet tem ainda mais motivos para comemorar o resultado do ranking. Seu Onix Plus, sucessor do Prisma, continua firme e forte na briga pela vice-liderança de mercado.

No mês passado, o sedã foi o terceiro carro mais vendido do Brasil. Mérito maior foi o do Chevrolet Tracker, cuja nova geração foi lançada em março. O carro foi o SUV mais emplacado em abril, à frente respectivamente de Renegade, Compass, Duster e T-Cross.

Além disso, o Tracker apareceu entre os dez carros mais emplacados do Brasil - na 10ª posição.