Topo

Coluna

Caçador de Carros


Veja dicas de como evitar a compra de carro usado danificado em alagamento

30.Set.2018-Chuva causa alagamento na Rua João Batista Di Vitoriano, Jardim Consórcio, na zona sul de São Paulo (SP) - ALEXANDRE SERPA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
30.Set.2018-Chuva causa alagamento na Rua João Batista Di Vitoriano, Jardim Consórcio, na zona sul de São Paulo (SP)
Imagem: ALEXANDRE SERPA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Felipe Carvalho

Felipe Carvalho é administrador de empresas, consultor e primeiro "caçador de carros" profissional do país. Seu canal no YouTube dedicado a avaliações de achados automotivos tem mais de 100 mil inscritos. www.youtube.com/CarrosdoPortuga

Colaboração para o UOL, em São Paulo

24/04/2019 07h00

Aqueles que estão acostumados a comprar carros usados, sabe que um dos critérios de desempate entre uma opção e outra é a procedência. É natural que o comprador dê preferência para carros que sempre estiveram no mesmo estado, ou ainda melhor, na mesma cidade.

Por conta disso, é grande o preconceito com carros vindo de outros estados. Quando um carro assim é oferecido em São Paulo, é como se ele fosse diferente de seus irmãos gêmeos que saíram da mesma linha de montagem, mas que foram faturados em SP, quando novos.

O medo de fazer uma compra ruim tem a ver com as características de cada região. Por aqui, em São Paulo, olhamos torto para carros com placa de Minas Gerais e do Paraná, por conta do grande número de carros de locadoras com sede nesses estados. Também não gostamos de carros vindos das regiões norte, nordeste e centro-oeste, por conta das estradas ruins que "destroem" os carros e da maresia de algumas cidades litorâneas.

Em contrapartida, muitos que estão fora de São Paulo, não querem nem saber de comprar carros daqui, com medo de levar um que tenha passado por uma enchente. Pelo menos é isso que ouço dos meus clientes de fora, que fazem questão de comprar um carro aprovado por mim, mas deixam claro a preocupação com essa questão. Eu sempre respondo, num tom bem-humorado, que não moramos num aquário, mas entendo perfeitamente essa preocupação, já que as notícias de alagamentos são constantes por aqui. Por sorte, eu nunca passei por esse infortúnio e o máximo que meus carros enfrentaram foram alagamentos transitáveis, daqueles que não passam da altura da roda.

Se você também tem esse medo e não sabe identificar um carro que passou por alagamento, siga essas dicas para não cair numa cilada.

Reprodução/Governo Municipal de Aquiraz
Imagem: Reprodução/Governo Municipal de Aquiraz
Documentação

Em muitos casos, um carro alagado tem registrado que passou por isso em algum momento de sua vida. Para checar isso, basta fazer uma dessas consultas pagas pela internet, ou então pedir para um despachante levantar o histórico do carro. Se logo de cara aparecer algo, o carro já pode ser descartado e você pode procurar outra opção. Mas se não aparecer nada de errado, não significa que o carro está livre desse problema. O dono de um carro que não tem seguro, pode muito bem ter passado por um alagamento e ter recuperado o carro por conta própria, de maneira que nada disso ficou registrado. Sendo assim, atenção às próximas dicas da avaliação.

Faróis e lanternas

O conjunto óptico de um carro foi projetado para resistir água, mas em situações comuns como uma chuva ou numa lavagem. Porém, se uma dessas peças for submersa, dificilmente vai aguentar a forte pressão da água, por mais bem vedada que ela seja. Sendo assim, verifique com atenção a parte interna dessas peças e desconfie se encontrar sinais de oxidação ou desgaste fora do normal.

Peças enferrujadas

Algumas peças de ferro, estão em locais seguros, livres de água. Mas num possível alagamento, a água consegue entrar nesses lugares. Se a recuperação não for imediata e bem-feita, essas peças vão enferrujar ao longo do tempo e acusarão que o carro passou pela enchente. Para ser mais claro, estou falando dos trilhos e estrutura dos bancos, pedais, parafusos na parte interna do carro, roda do estepe, macaco, chave de roda, entre outros. Se você notou ferrugem acima do normal nessas peças, são grandes as chances desse carro ter passado por um alagamento.

Regulagens mecânicas

Regulagens que são feitas de forma mecânica, ou seja, sem algum auxílio elétrico, podem estar emperradas por conta de sujeira, como barro ou areia vinda de uma enchente. A mais fácil de ser vista é a regulagem de distância do banco. Se sentir dificuldade para colocar ele pra frente ou para trás, pode ter sujeira no trilho.

Sinais de sujeira em locais de difícil acesso

Numa avaliação de carro usado, vale a pena agachar na parte interna e verificar como estão os comandos que ficam na parte de dentro do painel e só podem ser vistas por ali. Se encontrar alguma sujeira que não seja poeira, é porque tem coisa errada ali. Num reparo parcial, sem muito cuidado, são partes escondidas como essa que podem denunciar o que aconteceu com o carro.

Mau cheiro

Um carro usado pode ter vários tipos de cheiros. Cigarro e animais de estimação são os mais comuns e fáceis de identificar. Já o cheiro de um carro que passou por enchente, é um pouco diferente, mas também de fácil identificação. É aquele cheiro forte de roupa molhada, isso porque a parte interna de um carro tem forração para todos os lados. Observe se o tecido dos bancos está manchado e se o carpete ou teto estão úmidos. Na melhor das hipóteses, o carro não passou por enchente, mas tem algum ponto de infiltração e também deve ser descartado.

Elétrica

A parte que mais odeia água em um carro é a elétrica, e é muito fácil identificar se tem alguma pane. Basta testar todos equipamentos do carro, sejam internos ou externos. Você já deve ter observado um carro que quando freia acende a luz da ré, quando dá seta pisca a luz do freio e assim por diante. Essa aparência de árvore de natal tem grandes chances de estar acusando um carro que passou por enchente. Já no painel, verifique se as luzes de advertência não estão malucas, acendendo e apagando sem nenhum critério.

Por fim, deixo claro que identificar um carro que passou por enchente é muito mais fácil do que parece. Por mais cuidadoso que o trabalho de recuperação seja, sempre vai ter algum indício.

Tabela Fipe

Você sabe quanto variou o preço do seu carro nos últimos meses?

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Caçador de Carros