Imperatriz retrata sonhos e sorte em desfile místico; veja fotos

A Imperatriz Leopoldinense foi a última escola de samba a atravessar a Marquês de Sapucaí na primeira noite de desfiles no Rio de Janeiro.

A agremiação apresentou o samba-enredo "Com a sorte virada pra lua, segundo o testamento da cigana Esmeralda". O enredo é baseado em um cordel escrito há mais de 100 anos pelo poeta paraibano Leandro Gomes de Barros. A obra de ficção conta a história de uma cigana que deixou um testamento, uma espécie de "manual da sorte". O desfile mergulha no místico popular, tratando de temas como sonhos, quiromancia e os conceitos de sorte e azar.

A Imperatriz foi a campeã do ano passado, quebrando um jejum de 22 anos. A escola, fundada em 1959 no bairro de Ramos, na zona norte do Rio, é detentora de nove títulos.

Imperatriz apresenta o enredo "Com a sorte virada pra lua, segundo o testamento da cigana Esmeralda"
Imperatriz apresenta o enredo "Com a sorte virada pra lua, segundo o testamento da cigana Esmeralda" Imagem: Zô Guimarães/UOL
A rainha de bateria Maria Mariá representou um trevo da sorte no desfile da Imperatriz Leopoldinense
A rainha de bateria Maria Mariá representou um trevo da sorte no desfile da Imperatriz Leopoldinense Imagem: Zô Guimarães/UOL
A jornalista Mariana Gross desfilou como cigana na Imperatriz Leopoldinense
A jornalista Mariana Gross desfilou como cigana na Imperatriz Leopoldinense Imagem: Zô Guimarães/UOL
As baianas da Imperatriz Leopoldinense representam a cigana que tudo sabe e tudo enxerga
As baianas da Imperatriz Leopoldinense representam a cigana que tudo sabe e tudo enxerga Imagem: Zô Guimarães/UOL
Imperatriz Leopoldinense apostou em fantasias volumosas e exuberantes em desfile do Carnaval 2024
Imperatriz Leopoldinense apostou em fantasias volumosas e exuberantes em desfile do Carnaval 2024 Imagem: Zô Guimarães/UOL

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes