PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

Mocidade Alegre confunde com sósia de Marrom em homenagem à cantora

A Mocidade Alegre faz um tributo à cantora Alcione com o enredo "A voz marrom que não deixa o samba morrer" - Ricardo Matsukawa/UOL
A Mocidade Alegre faz um tributo à cantora Alcione com o enredo "A voz marrom que não deixa o samba morrer" Imagem: Ricardo Matsukawa/UOL

Do UOL, em São Paulo

11/02/2018 02h19

Homenageando os 70 anos da cantora Alcione, a Mocidade Alegre despistou o público durante a segunda noite de desfiles no Anhembi, em São Paulo. Um dos carros da escola trazia sósias de vários artistas, incluindo a própria Marrom, que era tão parecida com a verdadeira, que chegou a enganar o público.

Marcela Salorrana, a cover da homenageada, veio acompanhada de Rosa do Quênia, Kauane Ferrari e Marcela do Nascimento, que representavam Leci Brandão, Elza Soares e Maria Bethânia, respectivamente, no caro que lembrava o programa "Alerta Geral".

A Alcione real veio mesmo só no último carro, nas cores verde e rosa lembrando a Mangueira, escola do coração da cantora.

Além do Carnaval, o desfile fez referência ao Maranhão, terra natal da Marrom. Além de cantar o samba com empolgação durante todo o percurso, ela participou também do esquenta da escola, cantando "Não deixe o Samba Morrer". Ao fim do desfile, ela foi saudada pelos integrantes aos gritos de "Alcione maravilhosa!", "Linda!" e "Te amo!".

Questionada pelo UOL se via diferença em desfilar em São Paulo e no Rio, onde ela é destaque frequente da Mangueira, Alcione respondeu: "Não, é a mesma emoção".