PUBLICIDADE
Topo

Blocos de rua

Pré-Carnaval do Rio tem arrasta-pé em ensaio do bloco Terreirada Cearense

Ensaio do bloco Terreirada Cearense, no Rio - Luciola Villela/UOL
Ensaio do bloco Terreirada Cearense, no Rio Imagem: Luciola Villela/UOL

Giovani Lettiere

Colaboração para o UOL, no Rio

20/01/2018 08h00

Quem disse que Carnaval não combina com forró, coco e cantorias? O bloco Terreirada Cearense mistura vários ritmos e elementos da cultura popular da região do Cariri, no Ceará, fazendo os foliões dançarem coladinho num grande arrasta-pé. Foi o que se viu na noite de sexta-feira (19), quando o bloco fez seu ensaio durante o evento Carnaval Sem Rival, no Teatro Rival, no Centro do Rio.

Terreirada Cearense mistura ritmos e contagia foliões em ensaio pré-Carnaval - Luciola Villela/UOL - Luciola Villela/UOL
Terreirada Cearense mistura ritmos e contagia foliões em ensaio pré-Carnaval
Imagem: Luciola Villela/UOL
"O forró é a festa com seus vários ritmos. E terreiro é o de brincar, de forró, de ciranda, de reisado, de repentes. É a festa da diversidade, inspirada nos folguedos do Sertão do Cariri", explicou ao UOL o cantor cearense Geraldo Junior, o Junu, idealizador do bloco, que já tem sete carnavais no currículo.

No repertório do bloco, sucessos de Dominguinhos, Alceu Valença, Caetano Veloso e até Ednardo com seu "Pavão Misterioso". Integrantes do alto de pernas de pau animam os foliões e encenam o folclore daquela região, como a luta de espadas do reisado do Congo do Cariri, que costuma sair em cortejo na época do Natal no sertão cearense, num espetáculo lúdico.

Os namorados João Folly e Juliana Meirelles dançaram agarradinhos durante a apresentação de Junu. "Acho a cultura cearense muito rica e me identifico com ela. As músicas trazem uma sensação de bem-estar. Prestigiava o bloco como folião e agora, há três meses, entrei para o grupo de percussionistas", festejou João, que toca caixa entre os 200 ritmistas do bloco.

"Também não se desgrudaram na pista os amigos Evelin Gomes e Renato Costa, grudadinhos no forró da Terreirada. Ele é percussionista do bloco Que Pena Amor, que só toca músicas do grupo Raça Negra, que se apresentaria logo em seguida".

Antes do bloco do Raça Negra, a cantora potiguar Juliana Linhares, da banda Pietá, deu uma canja especial ao lado de Junu. Entre um bloco e outro, o DJ Thales Mulatu assumiu as picapes. O Que Pena Amor fechou a noite, só com sucessos do grupo de pagode Raça Negra, que viveu seu auge nos anos 1990. "O Raça Negra não é sofrência, não! É Carnaval também", comparou Léo Lins, um dos vocalistas do animado bloco, que foi formado nas oficinas de percussão do Terreirada Cearense e desfila na Segunda de Carnaval, dia 12 de fevereiro, na Praça Mario Lago, no Buraco do Lume, no Centro do Rio.

Já o bloco Terreirada Cearense desfila no sábado de Carnaval, 10 de fevereiro, às 14h, na Quinta da Boa Vista, em São Cristóvão, na zona norte da cidade.