PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Nada de chuveirinho e sem forçar: o que evitar na hora de fazer cocô

Fazer lavagem do reto com ducha é uma prática perigosa que deve ser evitada - iStock
Fazer lavagem do reto com ducha é uma prática perigosa que deve ser evitada Imagem: iStock

Luiza Vidal

De VivaBem, em São Paulo

09/12/2021 04h00

Fazer cocô pode ser fácil para algumas pessoas, enquanto para outras chega perto de sofrimento. Os motivos para a constipação —a famosa prisão de ventre— são os mais diversos: vão desde alimentação pobre em fibras, pouca ingestão de água, até doenças que podem favorecer o mau funcionamento do intestino.

Quando uma pessoa sofre de constipação, ou seja, passa dias sem conseguir fazer cocô, o ideal é procurar ajuda médica o quanto antes. Vale gastroenterologista, proctologista ou um clínico geral. É esse profissional que irá investigar o paciente como um todo.

O tratamento, primeiramente, envolve uma mudança de hábitos, tanto na alimentação, atividade física e orientação para beber mais água durante o dia, conforme explica André Augusto Pinto, gastroenterologista, cirurgião geral e cirurgião bariátrico da Clínica Gastro ABC (SP).

beber água disposição - iStock - iStock
Hábitos saudáveis como beber água e praticar atividade física são benéficos para o intestino
Imagem: iStock

"O primeiro tratamento básico é seguir uma dieta rica em fibras, evitar o sedentarismo e ingerir de 2 a 3 litros de água por dia. Tudo isso para melhorar o funcionamento do intestino sem tomar remédio", diz o médico. "Agora, se ficar 4, 5 dias sem evacuar, é bom procurar um especialista."

Algumas medidas também podem ajudar nesse momento de fazer cocô. No entanto, há outras situações —amplamente divulgadas nas redes sociais— que devem ser totalmente evitadas na hora de ir ao banheiro.

1. Lavagem com chuveirinho? Nem pensar!

Por mais que umedecer as fezes facilite a saída, não é indicado, em hipótese alguma, fazer a lavagem do reto com ducha em casa. A prática pode ser perigosa, segundo Vanessa Prado, gastroenterologista e médica do Centro de Especialidades do Aparelho Digestivo do Hospital Nove de Julho (SP).

"Isso é totalmente errado. Além de não ser nada higiênico, pode machucar a musculatura do ânus. Como o local é delicado, há riscos de ocorrer uma fissura anal e, se a pessoa faz uso prolongado, essa lesão na musculatura pode deixar o ânus 'frouxo'", explica.

Além disso, o uso da ducha altera toda a microbiota intestinal, conjunto de microrganismos que ficam na região anal. Isso pode resultar em fezes mais ressecadas, por exemplo. Portanto, esse tipo de manobra só deve ser feito dentro de hospitais e por profissionais habilitados. Nada de tentar em casa!

2. Suporte na parede vaginal: não faça isso

Há algumas pessoas que colocam os dedos dentro da vagina e, fazendo pressão na parede vaginal, conseguem estimular a saída das fezes de forma mais rápida. Isso pode mesmo ocorrer porque as duas partes ficam localizadas uma ao lado da outra.

Mas essa prática também não é indicada pelos médicos. Há grandes riscos de causar machucados na região —principalmente se a pessoa tiver unhas grandes— além de não ser nada higiênico. O mais indicado, como já dito anteriormente, é procurar ajuda.

coceira no ânus; hemorroidas; anal; - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
Imagem: Getty Images/iStockphoto

3. Não retire as fezes de forma manual

O mesmo vale para quem tenta retirar o cocô com ajuda dos dedos —principalmente em casos mais extremos. Da mesma forma, não é indicado que uma pessoa realize a manobra em casa, mesmo que utilizando luvas.

Essa técnica é realizada por médicos e em um local adequado para isso, principalmente quando o paciente apresenta fezes endurecidas.

4. Massagem abdominal ajuda?

Não tem problema fazer massagens na região do abdome. De acordo com os médicos, ela pode auxiliar em casos de gases ou cólicas, mas não na saída das fezes. Para isso, não adianta nada massagear a barriga.

"É o mesmo que a bolsa de água quente. As duas coisas não interferem no movimento intestinal. Ajuda um pouco se estiver com cólica, mas não resolve em nada na constipação", explica a médica do Hospital Nove de Julho.

cocô, banheiro, fezes, força para fazer cocô, diarreia, dor de barriga, homem no banheiro fazendo força - iStock - iStock
Fazer força ao evacuar favorece desenvolvimento de hemorroidas
Imagem: iStock

5. Evite passar muito tempo no vaso e não faça força

Quando chegar a hora de ir ao banheiro, aproveite o momento. Não passe horas usando o celular ou lendo alguma revista ou livro. Isso porque, mesmo sem fazer força para evacuar, passar muito tempo sentado no vaso sanitário pode favorecer o surgimento de hemorroidas, segundo os especialistas.

"Há mais concentração de sangue na região e as veias ficam mais contraídas e dilatadas, aumentando os riscos de ter hemorroida. Se fizer força, pior ainda", afirma o gastroenterologista.

6. Não segure o cocô

Deu vontade de ir ao banheiro? Vá, não deixe para depois. Se não estiver em casa, procure um banheiro e aproveite o trânsito intestinal. De acordo com os médicos, segurar o cocô não faz bem.

Agora, falando sobre medidas que podem ajudar os movimentos intestinais, veja algumas dicas —que não substituem as orientações de um médico:

1. Mantenha uma rotina

Para manter seu intestino funcionando bem, tente criar uma rotina. Se você consegue fazer cocô todo dia depois do café da manhã, mantenha firme seu hábito. O intestino agradece!

2. Use um banco de apoio para os pés

Não precisa ser necessariamente o banco específico para usar no banheiro. Você pode usar outros objetos para apoiar os pés, como uma caixa de sapato. O mais importante é deixá-lo em uma altura que o joelho fique acima do quadril, formando o ângulo perfeito para a saída das fezes, deslizando mais facilmente.

Squatty Potty foi criado para que a pessoa fique de cócoras na hora de evacuar - Divulgação - Divulgação
Banco foi criado para que a pessoa fique de cócoras na hora de evacuar
Imagem: Divulgação

É uma ótima opção para quem tem constipação, de acordo com Antonio Guilherme Melo e Silva Guimarães, gastroenterologista da rede de clínicas AmorSaúde, parceira do Cartão de Todos, de Marabá (PA).

"É igual a posição de cócoras, que é a posição correta para evacuar. Por isso, o banco pode ajudar mesmo, fica mais fácil e, se não tiver nada obstruindo a passagem do cocô, a posição facilita", explica o médico.

3. Mantenha hábitos saudáveis

No mais, como já citado anteriormente, é importante manter bons hábitos de saúde, principalmente na alimentação, ingestão de água e prática de atividades físicas.

Caso esteja tendo dificuldade de fazer cocô, indo apenas 2 vezes na semana, ou as fezes estejam mais duras, causando dor ou saindo em formato de "bolinhas", é hora de procurar um especialista.

Saúde