PUBLICIDADE

Topo

Café ou chá? Conheça os benefícios dessas bebidas e saiba quando consumir

iStock
Imagem: iStock

Danielle Sanches

Do VivaBem, em São Paulo

27/09/2021 04h00

Se tem uma tradição que nunca sai de moda no Brasil é o hábito de tomar um cafezinho. Seja logo depois de acordar, após o almoço ou até no famoso "café da tarde", a bebida é praticamente onipresente na mesa do brasileiro —não à toa, o país é um dos que mais consomem café no mundo.

Mas a bebida tem disputado espaço com o chá, preparado a partir da torra de folhas da planta Camellia sinensis e que também vem ganhando terreno em solo nacional. Por aqui, uma versão que cresce bastante em preferência é o chá verde, embora o chá preto e o branco também sejam apreciados.

O que nos leva à questão: entre as duas bebidas, existe alguma que seja melhor e ofereça mais benefícios para a saúde? Na verdade, as duas têm qualidades bastante parecidas e seu consumo tem, na maioria das vezes, efeito positivo para a saúde. Confira a seguir.

Ricos em antioxidantes

Para começar, tanto o café como o chá são fontes de antioxidantes chamados polifenois. Essas substâncias são conhecidas por atuar na redução da inflamação do organismo e, com isso, prevenir o surgimento de doenças como câncer, problemas cardiovasculares e neurodegenerativos e diabetes.

No caso do chá verde, a literatura médica já tem um bom histórico de pesquisas mostrando esses benefícios. Um estudo da Universidade de Harvard, por exemplo, mostrou que mulheres que consumiam a bebida tinham um risco de 20 a 30% menor de desenvolver câncer de mama. Em outra análise, feita por pesquisadores na China, o consumo de chá verde diminuiu em 42% o risco de desenvolver câncer colorretal. Ainda na China, outra pesquisa mostrou que os polifenois do chá verde ajudaram a regular os níveis de glicose no sangue de pessoas com diabetes, ajudando a controlar a doença.

Vale dizer que o chá branco e o chá verde são versões mais ricas em polifenois, já que sofrem pouco processamento antes de serem preparados. Já o chá preto acaba tendo um pouco menos pelo processo de trituração das folhas, que ativa enzimas que alteram sua cor e sabor —mas ainda entrega benefícios semelhantes ao da versão verde.

No caso do café, os polifenois presentes na bebida também reduziram o risco de desenvolver câncer de mama em mulheres, de acordo com uma pesquisa feita pela Universidade de Lund, na Suécia. Já pesquisadores da Itália mostraram em um estudo que o ingerir café reduzia o risco de tumores no fígado. Por fim, um outro estudo feito por Harvard revelou que o consumo de até quatro doses de café reduziria em até 11% o risco de insuficiência cardíaca graças à ação antioxidante dos polifenois, que combatem os radicais livres e impedem o aumento do colesterol "ruim" (LDL), um fator de risco para problemas cardiovasculares.

Chá verde - Getty Images/iStockphoto - Getty Images/iStockphoto
Apesar de o chá verde ter cafeína, ele também tem um aminoácido que promove relaxamento e calma
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Melhora na digestão

A tradição no Brasil manda que as refeições sejam finalizadas com um bom café, e algumas pessoas até acreditam que o hábito ajuda na digestão. De fato, a bebida estimula a produção de suco gástrico, o que auxilia no processo de quebra dos alimentos. No entanto, indivíduos ansiosos ou que já sofrem de algum problema estomacal (como gastrite, por exemplo) podem acabar experimentando dor e queimação.

Mas nem tudo são flores: os taninos e a cafeína presentes no café podem reduzir a absorção de alguns nutrientes, como cálcio, ferro, zinco e cobre. A mesma coisa acontece com o chá verde, que também tem cafeína.

Além disso, embora a ingestão do chá também ajude na produção de suco gástrico e tenha efeito positivo para quem sente o estômago cheio, a presença das catequinas atrapalha a absorção de gorduras —o que pode ser bom para quem está em busca de emagrecimento, mas prejudica o aproveitamento das vitaminas lipossolúveis (como a A, D, E e K).

Por isso, ingerir as bebidas após as refeições não é o mais recomendado —embora não seja proibido, desde que o indivíduo mantenha uma alimentação saudável e equilibrada no restante do dia para conseguir absorver todos os nutrientes de que o corpo precisa.

E, por fim, as duas bebidas têm efeitos benéficos para o funcionamento do intestino, influenciando de forma positiva nessa etapa da digestão. Enquanto o café estimula a produção de ácidos biliares no corpo, aumentando a vontade de ir ao banheiro, o chá verde estimula o equilíbrio da microbiota, regulando seu funcionamento.

Melhora da função cognitiva

A cafeína presente em ambas as bebidas também tem um efeito importante sobre o nosso sistema nervoso, reduzindo a sensação de cansaço e nos deixando mais alertas. A substância também se mostrou importante para a memória: um estudo feito pela Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, percebeu que o consumo de cafeína possibilitou um nível mais profundo de retenção de memória nos indivíduos por até 24 horas.

Nesse quesito, o café sai na frente, já que possui mais cafeína: uma xícara normal tem cerca de 100 mg, enquanto a mesma quantidade de chá verde apresenta entre 25 e 40 mg do nutriente. Por outro lado, além da cafeína, o chá possui catequinas, substâncias que têm efeito neuroprotetor e ajudam a prevenir doenças como Alzheimer e Parkinson, de acordo com uma pesquisa feita em Israel.

O chá verde também é fonte de l-teanina, um aminoácido que promove relaxamento e calma. Ele também ajuda a aumentar os níveis de dopamina, um neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar e motivação —melhorando não apenas a disposição na realização de tarefas como também o humor.

Fontes: Angelica Grecco, nutricionista do Instituto EndoVitta; Débora Palos, nutricionista do Centro Médico do Hospital Nove de Julho e da Clínica Dra. Maria Fernanda Barca; Gustavo Bernardes Fanaro, nutricionista e professor na Universidade Federal do Amazonas.