PUBLICIDADE

Topo

Pergunte ao VivaBem

Os melhores especialistas tiram suas dúvidas de saúde


Pergunte ao VivaBem

Tenho 73 anos, faço musculação, mas sigo perdendo massa magra. Tem solução?

Daniel Navas

Colaboração para o VivaBem

17/08/2021 04h00

Resumo da notícia

  • Uma das principais razões para a redução da musculatura corporal é a chamada sarcopenia
  • O problema é bastante comum na terceira idade e pode ser causado por alterações hormonais e fisiológicas do próprio envelhecimento
  • Entretanto, com a ajuda de treinos específicos e do aporte ideal de nutrientes, é possível controlar ou até reverter o problema

Com o passar dos anos, a perda de músculos é inevitável, devido à sarcopenia. O problema, que é comum na terceira idade, atinge cerca de 15% dos brasileiros a partir dos 60 anos, e em torno de 46% após os 80 anos, segundo a Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia.

Essa diminuição de massa magra pode ser causada por alterações hormonais e fisiológicas do próprio envelhecimento. Isto porque, ao longo do tempo, os níveis de testosterona diminuem, provocando a perda da quantidade e do tônus muscular. Entretanto, com ajuda médica é possível reduzir ou até reverter este quadro.

Quando ocorre uma perda exagerada da massa magra, outras causas metabólicas e hormonais devem ser investigadas. Algumas doenças endocrinológicas, como diabetes, distúrbios da tireoide ou paratireoides ou suprarrenais, por exemplo, podem ter relação com a redução de músculos no corpo. Neste sentido, é importante a avaliação de um médico endocrinologista, além de um geriatra, para indicar um tratamento adequado.

Além disso, a diminuição da massa magra também pode estar associada à dieta. Para o aumento da musculatura, é necessária uma ingestão adequada de proteínas e carboidratos. Para isto, o ideal é que um nutrólogo ou nutricionista seja consultado.

Em geral, os adultos devem consumir 0,8 a 1 g de proteína por kg de peso ao dia. Para o idoso, esta necessidade aumenta para 1,2 g por kg de peso ao dia. Já para quem precisa recuperar massa muscular, a quantidade de proteína vai para 1,5 g por kg de peso todos os dias. Então, por exemplo, se você estiver realmente perdendo musculatura e o seu peso é de 70 kg, será necessário consumir 105 g de proteína ao longo de 24 horas. Para se ter uma ideia, um bife de 100 g de carne vermelha contém, em média, 23 g de proteína. Sem esquecer que o aporte calórico também precisa aumentar. Afinal de contas, as calorias dão a energia necessária.

Os exercícios de força são, sem dúvidas, os mais potentes para o ganho de massa magra. Então, além da musculação, exercícios funcionais com o peso do próprio corpo ou pesos extras e até mesmo o pilates também podem contribuir para o aumento de músculos no organismo. A melhor modalidade deve ser definida entre o médico e o preparador físico, que devem estar em constante comunicação.

Outro ponto de extrema importância que merece atenção é se você está respeitando o intervalo entre os treinos. Um grupo muscular precisa de descanso entre um exercício e outro —em média 48 horas —, a fim de que haja reconstituição da fibra muscular. E também não podemos esquecer dos exercícios cardiorrespiratórios. Isso porque, além dos músculos, o coração e os pulmões também precisam estar fortes. Associar exercícios de força aos aeróbicos é fundamental.

Fontes: Betina Saad, geriatra e professora de geriatria da UFRN (Universidade Federal do Rio Grande do Norte); Bianca Vilela, fisiologista do exercício pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), palestrante e produtora de conteúdo; Carlos Roberto Galia, chefe do serviço de traumatologia e ortopedia do Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre; Guilherme Rollin, chefe do serviço de endocrinologia e nutrologia do Hospital Moinhos de Vento; João Pereira, educador físico da Bodytech, no Rio de Janeiro.

Quais são suas principais dúvidas sobre saúde do corpo e da mente? Mande um email para pergunteaovivabem@uol.com.br. Toda semana, os melhores especialistas respondem aqui no VivaBem.

Pergunte ao VivaBem