PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Queiroga diz que aplicação de vacina contra covid pode ser anual

Marcelo Queiroga diz que Brasil precisa se preparar para produção anual de vacinas contra covid-19 - Ueslei Marcelino/Reuters
Marcelo Queiroga diz que Brasil precisa se preparar para produção anual de vacinas contra covid-19 Imagem: Ueslei Marcelino/Reuters

Do VivaBem, em São Paulo

28/07/2021 09h33

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que trabalha com a possibilidade de a aplicação da vacina contra covid-19 ocorrer anualmente. Em entrevista à CNN Brasil, Queiroga afirmou que o Brasil precisa se preparar para produzir imunizantes e atender essa possível demanda.

"É possível que [a pandemia do novo coronavírus] se torne uma endemia e que tenhamos que vacinar a população brasileira anualmente. Por isso, é necessário fortalecer o nosso complexo industrial da saúde, para que tenhamos condição de produzir vacinas suficientes no Brasil. Não só o IFA nacional, mas também o banco de células", disse.

Em maio, Queiroga já havia admitido a possibilidade de que fosse necessária a aplicação de doses anuais de vacina contra covid-19, mas fez a ressalva de que a "ciência ainda não trouxe todos esses dados".

Desde então, a discussão ganhou força, principalmente depois de o secretário estadual de Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, dizer há dez dias que a vacinação seria anual e começaria em janeiro.

Em resposta, o Ministério da Saúde disse que "não há evidência científica" sobre a necessidade de uma campanha anual de vacinação contra a covid-19.

Etapas da vacinação

Na mesma entrevista à CNN Brasil, Queiroga disse que o Ministério da Saúde está focado em cumprir as próximas etapas da vacinação, sendo a primeira delas aplicar pelo menos a primeira dose em todos adultos até setembro.

O ministro também comentou a possibilidade de incluir os adolescentes de 12 a 17 anos no PNI (Plano Nacional de Imunização), mas disse que por enquanto o foco é nas pessoas com comorbidade dessa faixa etária.

"Temos que avançar por partes. Até setembro, [teremos] todos acima de 18 anos vacinados e teremos pelo menos 50% acima dos 18 anos vacinados com as duas doses. E depois vamos introduzir de acordo com a comorbidade [em adolescentes], e vamos pensar também no reforço", disse.

Ontem, no Twitter, Queiroga informou no Twitter que adolescentes de 12 a 17 anos serão incluídos no programa de vacinação contra a covid-19 depois que todos os estados receberem doses suficientes para vacinar a população adulta ao menos com a primeira dose.

Até o momento, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) autorizou apenas a aplicação da vacina Pfizer para a faixa etária.

Saúde