PUBLICIDADE

Topo

Sem cortar calorias, idosos perdem gordura e ganham saúde com menu low carb

Uma dieta low carb saudável deve ser rica em alimentos naturais: carnes, ovos, queijos, legumes e verduras - iStock
Uma dieta low carb saudável deve ser rica em alimentos naturais: carnes, ovos, queijos, legumes e verduras Imagem: iStock

Do VivaBem

22/08/2020 12h47

Os benefícios de uma alimentação com baixo consumo de carboidratos ainda geram polêmica entre especialistas em nutrição e saúde. Mas, em um novo estudo publicado na revista científica Nutrition and Metabolism , um cardápio low carb, com apenas 10% das calorias diárias vindo de carboidratos, promoveu melhoras na saúde metabólica de idosos obesos (reduzindo do risco de doenças como diabetes e infarto).

Além disso, mesmo sem a redução intencional de calorias diárias, o menu fez as pessoas perderem peso e melhorarem corporal.

"Após a intervenção de oito semanas, apesar da recomendação de seguir uma alimentação para manter o peso (ou seja, em teoria não cortar calorias), o grupo que consumiu a dieta com muito baixo teor de carboidratos perdeu mais peso e massa gorda total do que o grupo controle", explicou Amy Goss, professora do Departamento de Ciências da Nutrição da Universidade do Alabama em Birmingham (EUA).

Segundo a pesquisadora, a dieta com pouco carboidrato e alto teor de gorduras naturais, que tinha como base o consumo de ovos, não afetou negativamente o nível de colesterol no sangue, como muitos especialistas dizem acontecer. Pelo contrário, reduziu as taxas de colesterol total e triglicérides e a gordura visceral (que se acumula na região abdominal e é perigosa para a saúde), o que reflete na diminuição do risco de doenças cardiovasculares. A alimentação ainda melhorou a sensibilidade à insulina dos voluntários, baixando o risco de diabetes tipo 2.

Como o estudo foi feito

  • Os cientistas avaliaram durante 8 semanas 34 homens e mulheres obesos, com idade entre 60 e 75 anos.
  • Os participantes foram divididos aleatoriamente em dois grupos: um grupo seguiu uma dieta com pouco carboidrato e muita gordura (very low carb) e o outro grupo, o controle, recebeu uma "dieta saudável padrão", com pouca gordura. Os dois grupos tiveram acompanhamento semanal com nutricionistas.
  • No grupo low carb, 10% das calorias diárias deveriam vir de carboidratos; 25% de proteínas; e 65% de gorduras (preferencialmente naturais). Os participantes tinham que comer três ovos por dia e também foram orientados a consumir peixes, carne bovina e suína, frango, azeite, queijos, verduras, frutas e legumes com baixo teor de carboidrato (abobrinha, brócolis, couve-flor, cenoura, abacate, coco, morango etc.).
  • Quem seguiu a "dieta saudável padrão" tinha de ingerir 55% das calorias vindas de carboidratos; 25% de proteínas; e 20% de gorduras, sendo apenas 10% de gorduras saturadas. Eles foram orientados a não consumir ovos e manter um cardápio de qualidade, com frutas, verduras, legumes, carnes e carboidratos de todos os tipos, incluindo os de maior índice glicêmico, como pães, arroz, batatas, macarrão.
  • Os dois grupos foram orientados a seguir um cardápio para manutenção de peso: ou seja, não deveriam cortar calorias e tinham que ingerir a mesma quantidade de energia por dia que o organismo gasta.
  • Após 8 semanas, mesmo sem cortar calorias, os dois grupos perderam peso com a alimentação saudável. Porém, os 19 participantes do grupo low carb eliminaram, em média, 6,3% do peso, contra 1% do outro grupo. Além disso, o grupo low carb conseguiu reduzir em 9,7% a gordura corporal, contra 2% do grupo que seguiu a dieta "normal".
  • O grupo low carb ainda apresentou maior aumento no bom colesterol (HDL) e maior redução do triglicérides, do colesterol total e da resistência à insulina, em comparação a outro grupo. Estes são importantes indicadores da saúde metabólica e, quando controlados, reduzem o risco de problemas com diabetes tipo 2, infarto, AVC, gordura no fígado etc.

"Os resultados mostram que a dieta low carb pode ser uma opção terapêutica segura para adultos mais velhos que sofrem de obesidade", conclui Goss. Ela acrescenta que já existiam muitas evidências científicas de que a dieta low carb é saudável para os jovens, mas estes é um dos primeiros trabalhos a estudar os efeitos deste tipo de alimentação em obesos com mais de 65 anos —uma população que possui grande risco de sofrer doenças cardiometabólicas.