PUBLICIDADE

Topo

Beleza

Sarah exibe resultado de harmonização: o que é preciso saber antes de fazer

Sarah realizou mais procedimentos estéticos no rosto após deixar o BBB - Reprodução / Instagram
Sarah realizou mais procedimentos estéticos no rosto após deixar o BBB Imagem: Reprodução / Instagram

De Universa*

10/04/2021 11h02

Desde que deixou o BBB, Sarah Andrade tem investido em procedimentos estéticos. Logo que saiu do confinamento, a ex-participante passou a madrugada realizando retoques na sobrancelha e nos lábios antes de aparecer do programa "Mais Você", com Ana Maria Braga. Já na noite de ontem (9), o cirurgião dentista Igor Alves, famoso no Instagram por postar fotos de antes de depois de seus pacientes, mostrou o resultado dos procedimentos que realizou em Sarah: preenchimento labial, suavização de olheiras e retoques no nariz e na mandíbula.

Veja a seguir quatro pontos essenciais para levar em conta antes de fazer uma harmonização:

1. Custo e duração

Os interessados precisam preparar o bolso: de acordo com a médica, o preço varia de acordo com a quantidade de ácido hialurônico aplicado. Ou seja, quanto mais pontos do rosto sofrerem intervenções, maior fica o valor. "Cada ampola custa cerca de R$ 1500. Em procedimentos mais leves costumamos colocar de três a quatro ampolas. Mas há profissionais que chegam a utilizar 30 delas. Nesse caso, geralmente é concedido ao paciente um desconto", diz a dermatologista Hellisse Bastos, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Ou seja: o preço pode variar de 4,5 a 30 mil reais.

Muita gente se arrisca na técnica devido a sua duração: como são utilizadas apenas substâncias absorvíveis, os resultados têm data para acabar. "Ela varia de acordo com o organismo de cada paciente, mas em geral leva de um a dois anos para desaparecer", pontua a dermatologista.

2. Expectativa quanto ao resultado

A dermatologista pede cuidado com os padrões vistos nas redes sociais. "Celebridades estão o tempo todo experimentando novos procedimentos, alguns deles com resultados que beiram o artificial. Elas acabam se tornando referência, como as irmãs Kardashian, que são algumas grandes influenciadoras quando o assunto é estética", exemplifica.

Ela acredita que parte do vislumbre pela harmonização venha do medo de ser julgado. "A internet nos deixa muito expostos e, por causa disso, sentimos receio de sermos criticados. Queremos nos sentir seguros diante de uma câmera", diz. Porém, na sua visão, o procedimento deveria ser encarado com menos expectativas. "Alguns pacientes chegam às clínicas acreditando que terão resultados milagrosos. É responsabilidade do profissional delimitar as reais possibilidades e reforçar que se trata de uma intervenção com prazo para acabar, pensando na estratégia da manutenção. Aconselho muitos deles a irem com calma, experimentando as possibilidades ao longo dos anos, também para que possam se organizar financeiramente", afirma.

3. Se eu me arrepender, o que posso fazer?

Há quem não goste dos resultados e prefira não esperar o prazo natural de reversão da técnica. "Se acontecer, o paciente pode se submeter a sessões de aplicação de uma enzima que degrada o ácido hialurônico. Ela deve ser colocada aos poucos, mas age com rapidez", aponta Hellisse.

4. Como escolher um bom o profissional?

Hoje, no Brasil, estão autorizados a realizar a harmonização: médicos (dermatologistas e cirurgiões plásticos), dentistas, farmacêuticos e profissionais da biomedicina. O assunto já se tornou batalha judicial, uma vez que associações médicas entraram na Justiça para reclamar exclusividade sobre a técnica. "Meu conselho é que a pessoa interessada pesquise sobre a linha de atuação do profissional que está prestes a procurar. Se a ideia é fazer uma grande transformação, existem pessoas mais qualificadas do que outras para isso. Mas vale lembrar que médicos, ao contrário dos outros profissionais, são proibidos de postarem fotos de antes e depois de seus pacientes nas redes sociais, então o ideal é não basear a pesquisa só nisso", diz.

*Com informações da matéria Harmonização facial: o que é preciso saber sobre a técnica antes de fazer, publicada em outubro de 2020.

Beleza