PUBLICIDADE

Topo

Universa Vê BBB

Ele não está tão a fim de você: o que o BBB nos ensina sobre amor-próprio?

BBB 21: Carla Diaz consola Arthur após saída de Projota - Reprodução/Globoplay
BBB 21: Carla Diaz consola Arthur após saída de Projota Imagem: Reprodução/Globoplay

Júlia Flores

De Universa

18/03/2021 04h00

Carla Diaz já se declarou para Arthur, de joelhos, em rede nacional. Em resposta ao ato, o crossfiteiro disse apenas um "partiu". Depois da saída de Projota da casa, nesta terça-feira (16), o brother se debulhou em lágrimas, a sister consolou o parceiro e a cena, que lembra a de um velório, virou meme - parecia que, finalmente, Arthur estava demonstrando algum sentimento, mas não era pela atriz.

No último sábado (13), a participante Thaís chorou por não ter sido escolhida por Fiuk (líder da semana) para dividir os benefícios do VIP. Ela e o filho de Fábio Júnior já trocaram carinhos e beijos dentro da casa. Na semana passada, em uma festa na quarta-feira (10), ela tentou se reaproximar do artista e chegou a roubar um selinho do ex crush.

Fiuk, porém, deixou claro para a dentista que não estava a fim de envolvimento. "Não quero mais nada com você aqui, a não ser sua amizade e uns selinhos às vezes. Eu não quero fazer casal", disse o cantor. Apesar disso, Thais voltou a criar expectativas com o colega de reality e esperava ser uma das selecionadas para o quarto do líder.

Universa conversou com especialistas para tentar descobrir por que, assim como Thaís e Carla, mesmo com todos os sinais dos companheiros, muitas vezes continuamos insistindo em pessoas que não demonstram interesse pela relação.

Atente-se aos sinais

O filme "Ele não está tão a fim de você" (2009), baseado num livro best seller de mesmo nome, explora o fato de mulheres heterossexuais serem ensinadas culturalmente a "aceitar" relacionamentos com pessoas que não atendem suas demandas, fogem de relações sérias e não têm responsabilidades emocionais com as parceiras.

Para a médica Danielle H. Admoni, psiquiatra na UNIFESP, esse padrão de comportamento é mais comum do que parece: "Mulheres aprenderam a ter entendimentos diferentes sobre relacionamentos. Muitas acabam criando alguns tipos de fantasias e teorias para aceitar as negativas dos parceiros. Por exemplo, pensam que se ele a está maltratando é porque quer 'ver se eu realmente o amo'. Além disso, como muitas têm problema de autoestima, é mais fácil para uma mulher acabar aceitando um relacionamento 'ruim'."

Essa carência emocional pode, muitas vezes, estar relacionada a algum trauma do passado. "Muitas mulheres se tornam obsessivas pelos parceiros, mesmo que eles já tenham dado sinais de descomprometimento, por falta de amor-próprio. Isso pode ter uma origem em alguma situação familiar, principalmente na falta da figura paterna. De alguma maneira, ela acaba projetando essa ausência em uma relação amorosa, chegando ao ponto de se humilhar para suprir suas demandas", explica a psicóloga Carla Cecarello, consultora de relacionamento do site C-date.

"Não são todos os casos, às vezes a mulher 'corre atrás' para esgotar as possibilidades daquele relacionamento. Para outras, isso vira uma obsessão", alerta Carla.

No amor e no jogo?

Na opinião de Thamirys Borsan, influencer que ganhou a internet fazendo comentários sobre o BBB 21, Carla Diaz e Thaís, "no fundo", sabem que estão se doando mais do que os parceiros para os respectivos relacionamentos.

"No fundo, elas sabem. Mas querem sair como 'donas da situação'. A Thaís fala que não quer ficar com o Fiuk para sair bonita nas câmeras, mas ela quer. Mesma coisa com a Carla, ela tenta se dizer dona do jogo, só que quando está perto do Arthur, ela fica totalmente perdida", comenta.

Assistindo ao reality, dá para ter um exemplo claro de como esse tipo de relação pode ser prejudicial. No caso de Carla Diaz, pode custar o 1,5 milhão do prêmio: "O relacionamento do Arthur com a Carla está prejudicando a estratégia dela no jogo. Tudo que ela faz é pensando nele. Então, por mais que ela fala que está no controle da situação, ela acaba dando vários privilégios para ele".

Fora da casa, Arthur daria um ghosting em Carla?

Não há uma fórmula mágica para identificar que "ele não está tão a fim de você", mas alguns sinais deixam claro que as expectativas estão desalinhadas. "São sinais indiretos. Se o seu parceiro, por exemplo, é indiferente aos seus comentários ou necessidades, não escuta o que você fala, não te inclui nos planos de longo prazo e você sente que tem algo errado, pode estar havendo um desinteresse", diz Danielle.

E, às vezes, a mensagem é clara, mas não damos bola para ela. No BBB, a influencer Thamirys lembra que "Fiuk foi claro e já disse que não quer ficar com ninguém na casa. Nessa hora, a Thaís respondeu que também não queria, para poder 'sair por cima' e aceitar qualquer migalha dele, no caso, um selinho".

Arthur nunca falou diretamente para Carla que não queria ficar com a atriz. Mas deu vários dos tais "sinais indiretos" citados por Danielle: preferiu dar o "colar do anjo" que garante imunidade para o amigo Projota, mesmo quando a ficante estava em risco no jogo. Mais recentemente não foi socorrê-la depois que ela passou mal em uma prova.

"Além disso, em todos os momentos fofos do casal, é ela que vai atrás dele. Quando ela pergunta pra ele se está tudo bem, ele diz que sim. Ele não tem muito peito de falar que não está mais a fim. Para mim, o Arthur é o típico homem que dá ghosting. Fica com a pessoa, não tem mais interesse, para de responde-la no WhatsApp e fim. Só que, como ele está confinado com ela, não tem como evitá-la", conclui Thamirys.

Ao sair da "casa mais vigiada do Brasil", Carla e Thaís poderão rever vídeos de situações que passaram e repensar as relações. É possível que seja mais fácil, assim, perceber o erro. Para quem vive relacionamentos assim "na vida real" e sem câmeras, pode ser mais difícil entender o que está acontecendo e se livrar do relacionamento, mas não é impossível.

Segundo a psiquiatra Danielle Admoni, refletir sobre a relação é o primeiro passo para quebrar esse ciclo. "É preciso avaliar se a relação é bacana, leve e positiva. É importante escutar a si mesma: 'Será que eu estou feliz? Quanto estou investindo nisso?' E, a partir dessas reflexões, tentar se valorizar e repensar a própria autoestima", recomenda.

Porém, a especialista em relacionamentos Carla Cecarello alerta que, em alguns casos, o melhor é procurar ajuda profissional: "Tem casos que a mulher só enxerga o quanto está se humilhando e deixando de olhar para si mesma com auxílio médico e psicológico."

Enquanto o BBB 21 não acaba, os casais do reality seguem nos rendendo alguns memes e boas reflexões.

Universa Vê BBB