PUBLICIDADE

Topo

Mães e filhos

Em registro raro, casal lésbico dá à luz quíntuplas nos Estados Unidos

Americana dá à luz quíntuplas - Kirstin Ann Photography
Americana dá à luz quíntuplas Imagem: Kirstin Ann Photography

Colaboração para Universa

26/01/2021 19h30

Um casal de mães que decidiu ter um segundo bebê acabou aumentando a família mais do que o esperado.

Heather Langley, 39, e Priscilla Rodriguez, 35, do Texas, deram as boas-vindas a cinco bebês, todas meninas. Elas já são mães de outra garotinha de três anos, Sawyer.

É apenas a segunda vez registrada nos EUA em que ocorre uma gestação de quíntuplos com todas as bebês sendo meninas.

Heather estava grávida de seis semanas quando descobriu que teria quíntuplos. As cinco meninas acabaram nascendo prematuras, com apenas 28 semanas de gestação.

"Inicialmente os médicos viram quatro bebês. Depois descobriram que tinha mais um. Eu fiquei assustada no início, com medo de ter complicações na gravidez", disse Heather ao jornal britânico Daily Mail.

"Também confesso que entrei em pânico ao pensar em como cuidaria de cinco bebês e como chegaríamos a um acordo sobre cinco nomes, se um já é difícil", disse uma das mães.

Os nomes escolhidos foram Hadley, Reagan, Zariah, Zylah e Jocelyn.

"Depois do choque inicial, pensei no quão especial seria nossa família. É como ganhar na loteria", conta.

Heather conta que a esposa, Priscilla, com quem está há nove anos, não queria ter filhos no início. Depois que elas fizeram a primeira inseminação e tiveram Sawyer, ela ficou com vontade de ter mais um bebê.

O método utilizado foi a inseminação intrauterina, no qual o esperma concentrado é colocado diretamente no útero por volta da hora em que a mulher vai ovular.

Elas tentaram utilizar esperma do mesmo doador da filha mais velha, mas não estava mais disponível.

Por causa da pandemia de covid-19, Priscilla não pôde ir junto ao ultrassom quando Heather descobriu que estava esperando cinco bebês. Ela deu a notícia à esposa por mensagem de celular, e obteve como resposta um pedido: "por favor diga que está brincando".

Por causa do parto prematuro, as bebês tiveram que passar seus três primeiros meses de vida no hospital. Elas nasceram em agosto, mas a primeira só foi para casa no dia 31 de outubro e a última em 2 de dezembro.

"Tem sido louco, agitado e cansativo, mas eu não faria nada diferente. Nossa filha mais velha tem sido maravilhosa com as irmãzinhas", diz Heather.

Mães e filhos