PUBLICIDADE

Topo

Universa

'Ela só quer ser feliz', diz mãe de jovem espancada em posto de combustível

Jovem é espancada em posto de combustível, em Jacareí (SP), 3 dias após reatar com noivo - Arquivo pessoal
Jovem é espancada em posto de combustível, em Jacareí (SP), 3 dias após reatar com noivo Imagem: Arquivo pessoal

Felipe Munhoz

Colaboração para o UOL, em Lençóis (BA)

22/12/2020 14h30

A comerciante Fabiane Porto dos Santos Barbosa, 46, tomou um susto no último domingo (20) quando o seu genro apareceu ensanguentado na sua casa e repetindo: 'Eu não queria fazer isso com ela'. O rapaz é suspeito de espancar a filha dela de 20 anos, em um posto de combustível em Jacareí (SP). Ao UOL, a mãe da vítima afirmou hoje, emocionada, que espera que a justiça seja feita e que a jovem "só quer ser feliz".

"[Sinto] muita tristeza pela minha filha, pois ela é uma excelente pessoa e só quer ser feliz. Já não deu certo com o primeiro [companheiro], que ela tem as duas crianças [um menino de 2 anos e uma menina de 5], e agora com ele", disse Fabiane. "Eu quero justiça, quero que realmente ele pague pela tentativa de homicídio [feminicídio]", desabafou.

Bianca Vitória Barbosa estava internada na Santa Casa de Jacareí e recebeu alta nesta tarde. Segundo a mãe da vítima, a jovem aguardava desde ontem um especialista para avaliar se havia fratura no rosto e precisaria ser operada. Ela deu entrada no hospital domingo com ferimentos por arma branca, suspeita de traumatismo craniano e outras lesões pelo corpo. "Ele disse que não vai precisar fazer cirurgia e deu alta para ela", explicou Fabiane. Abaixo, as imagens captadas pelas câmeras de segurança (alerta: as imagens são fortes).

À reportagem, o delegado responsável pelo caso, Talis Prado Pinto, afirmou ontem que o suspeito Ruan Antonio Cerino Machado, 28, que teve a ação flagrada por câmeras de segurança do posto de combustível, correu para a casa da sogra depois de conseguir fugir das agressões de um grupo que passava pelo local no momento do espancamento.

"Ele chegou aqui todo ensanguentado e só sabia repetir: 'Eu não queria fazer isso com ela'. Daí eu dizia: 'Fazer o quê? O que você fez com a minha filha?'. E ele só repetia a mesma coisa. Daí eu pensei, vou colocar ele no carro, falar para ele me levar no local onde ele deixou a minha filha e, quando chegar lá, eu vejo, se a minha filha tiver morta e tiver polícia lá, a gente já entrega ele", lembrou a comerciante.

"Eu fiquei sabendo que o resgate levou ela, o policial falou que não sabia se estava com vida, sabia que ela estava desmaiada. E a gente levou ele para a UPA de Jacareí e, de lá, acionamos a polícia, que prendeu ele lá", relatou.

Medida protetiva

O casal se conheceu há cerca de um ano em uma festa, morava junto e, em uma rede social, consta que ficou noivo no dia 3 de novembro. Porém, Bianca havia sofrido uma primeira tentativa de feminicídio. A relação foi rompida e, após o registro da ocorrência, foi expedida uma medida protetiva em favor da jovem, que proibia Ruan Antonio de se aproximar dela. Porém, segundo o delegado, três dias antes do espancamento, o casal havia reatado o relacionamento.

"[A primeira vez] aconteceu só porque ela foi almoçar no domingo com a minha família. [Ele] disse que mulher tem que ficar na cozinha. Ele bateu nela a noite toda. Ela avisou minha outra filha e nós levamos ela para fazer o B.O. [Boletim de Ocorrência]. Quando fui ver, ele estava dentro da minha casa falando que estava arrependido", lembrou Fabiane.

Segundo a comerciante, Ruan Antonio tem uma filha, mas é proibido de vê-la. "Ele também já teve um relacionamento e tem uma filha de 10 anos. Mas a ex não permite ele chegar perto da menina, sendo que moram no mesmo bairro. A mãe dele acoberta ele em tudo", criticou Fabiane.

Ruan Antonio foi preso em flagrante domingo como suspeito de tentativa de feminicídio. Segundo o delegado, o rapaz ainda não tem advogado de defesa e negou o crime.

"Não confessou [o crime]. Ele manifestou o desejo de só falar em juízo. Disse apenas que ficou ferido ao arrombar o banheiro do posto de combustível para retirar a vítima do local", afirmou Talis Prado Pinto. A Justiça acatou o pedido de prisão preventiva e o suspeito aguardará o julgamento detido.

Universa