PUBLICIDADE

Topo

SP: Procon recebe 30 denúncias contra restaurante que satirizou feminicídio

Primata Parrilla, em Presidente Prudente (SP), foi inicialmente multado em R$ 1,2 mil - Procon-SP/Divulgação
Primata Parrilla, em Presidente Prudente (SP), foi inicialmente multado em R$ 1,2 mil Imagem: Procon-SP/Divulgação

Simone Machado

Colaboração para o UOL, em São José do Rio Preto (SP)

01/12/2020 15h51

O restaurante Primata Parrilla, da cidade paulista de Presidente Prudente, a 580 km de São Paulo, virou alvo de uma campanha de boicote após publicar nas redes sociais frases que fazem alusão ao feminicídio, à violência contra crianças e à xenofobia. Pelo menos 30 denúncias contra o estabelecimento foram registradas no Procon (Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor) da cidade nos últimos três dias.

Devido às denúncias, o local recebeu um auto de infração na manhã de hoje. O estabelecimento responderá a processo administrativo sancionatório junto ao Procon-SP por publicidade abusiva e por veicular nas redes sociais propaganda publicitária que desrespeita valores da sociedade. O estabelecimento tem 15 dias para recorrer da decisão.

"Nesses casos, a penalidade que tem é a multa. Essa multa pode variar de R$ 700 a R$10,8 milhões. Nesse caso em específico, por causa do porte do estabelecimento, a multa inicial é de R$ 1,2 mil e pode ter agravantes ou atenuantes que fazem com que esse valor mude ao longo do processo", explica Priscila Nishimoto Landin, coordenadora regional da Fundação Procon.

Em diferentes postagens, o estabelecimento comercial divulgou mensagens em alusão a crimes de grande repercussão nacional, como o caso Eliza Samudio e o caso Isabella Nardoni. Além disso, debochou da fome na África.

"Filho a gente não cria para nós. Cria para jogar no mundo — Alexandre Nardoni", diz uma postagem feita no dia 18 de novembro, no Instagram do estabelecimento, fazendo alusão ao caso em que Isabella Nardoni, de 5 anos, foi jogada do sexto andar de um edifício da zona norte de São Paulo em março de 2008. O pai da menina e a madrasta dela foram condenados pelo crime.

Na última semana, outra postagem satirizando um problema social, a fome, foi feita. A placa dizendo que "fazer as refeições juntos une a família", e classificando a população da Etiópia como "povo sem união".

Primata Parrilla - Instagram/Reprodução - Instagram/Reprodução
Postagens do estabelecimento nas redes sociais mostram frases que debocham de crimes violentos
Imagem: Instagram/Reprodução

No fim de semana, uma nova postagem chamou a atenção nas redes sociais e gerou revolta. Com a frase "o cão é o melhor amigo do homem — goleiro Bruno", a postagem se refere ao assassinato de Eliza Samúdio, no qual o corpo da jovem nunca foi encontrado. Bruno, acusado pelo crime cumpre pena em regime semiaberto pelo homicídio triplamente qualificado, sequestro e ocultação de cadáver.

Tais postagens geraram revolta nas redes sociais e diversas pessoas passaram a compartilhar notas de repúdio e pedir para que os moradores da cidade boicotassem o estabelecimento comercial.

A Comissão da Mulher Advogada da OAB de Presidente Prudente também acompanha o caso. O órgão disse estudar "medidas cabíveis" para o caso, mas preferiu não se manifestar no momento.

'As pessoas têm o direito de gostar ou não'

A reportagem do Universa entrou em contato com o estabelecimento Primata Parrila, que explicou que o departamento jurídico da empresa está cuidando do auto de infração aplicado hoje.

"Estamos em um país livre, onde as pessoas podem fazer piadas do que quiserem. Afinal, isso não é ou nunca foi nossa opinião. Não escrevemos opiniões na placa. Somente piadas. Por outro lado, as pessoas têm o direito de gostar ou não", defendeu-se o estabelecimento.

"Isso não foi uma jogada de marketing, esse é o nosso método de trabalho, porém dessa vez, um grupo se sentiu ofendido e estão tentando fazer o tal cancelamento. Porém, vida que segue. Vamos continuar fazendo o nosso trabalho, fazendo comida que é o que a gente sabe fazer, e escrevendo piadas na placa, somente com o intuito dos nossos clientes verem. Afinal eles são publicados exclusivamente nas nossas redes sociais. Ou seja, é para os nossos clientes", acrescentou o restaurante em nota.