PUBLICIDADE

Topo

Empresário suspeito de matar ex-companheira no RJ é preso em MG

Nilton Francisco Rangel Pinto, de 67 anos, é suspeito de matar a tiros a dona de casa Mara Cristina Tavares - Acervo pessoal
Nilton Francisco Rangel Pinto, de 67 anos, é suspeito de matar a tiros a dona de casa Mara Cristina Tavares Imagem: Acervo pessoal

Vinícius Rangel

Colaboração para o UOL, em Vitória (ES)

23/10/2020 18h32

O empresário Nilton Francisco Rangel Pinto, de 67 anos, foi preso na manhã de hoje, em um sítio na cidade de Itaúna, em Minas Gerais. Ele era procurado pela polícia, suspeito de matar a ex-companheira em Campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro.

O crime aconteceu no dia 15 de setembro, dentro da própria casa da vítima, a dona de casa Mara Cristina Tavares, de 55 anos. As imagens de uma câmera de segurança flagraram toda a ação criminosa. No vídeo é possível ver Nilton descendo do veículo e atirando em Mara. Ela correu, mas acabou morta com vários tiros na cabeça e nas costas.

Depois de executar a ex-companheira, Nilton fugiu e ficou desaparecido por 38 dias. A Polícia Civil fluminense começou a fazer um levantamento para encontrar o empresário. Ao todo, foram cerca de 30 horas de trabalho, entre deslocamento e levantamento do local, análise de imagens de satélite e trabalhos de inteligência para saber onde estava Nilton.

Após todo o levantamento, os investigadores chegaram até um sítio da família do companheiro de uma das filhas de Nilton, de um outro relacionamento. O local ficava em uma cidade da região metropolitana de Belo Horizonte. O suspeito não reagiu a prisão e já sabia que estava sendo procurado pela polícia.

O empresário foi detido e encaminhado ao 134ª Departamento de Polícia, no interior do RJ. Ele vai responder pelo crime de feminicídio e pode pegar até 30 anos de prisão.

Pensão alimentícia seria a motivação do crime

As informações levantadas pelos investigadores do caso, dão a entender que a motivação do crime seria por causa de uma briga judicial por pensão alimentícia. De acordo com os familiares, Mara entrou na justiça para conseguir todo o dinheiro da pensão dos dois filhos que tiveram. A alegação, foi que o valor nunca era pago integralmente.

Após uma decisão judicial, o empresário foi obrigado a pagar um valor de R$ 17 mil, em setembro deste ano. Isso teria feito com que Nilton ficasse com raiva da ex-companheira e a matasse. O caso será entregue ao Ministério Público, para que a denúncia seja oferecida à justiça ainda neste mês. Para a família, uma grande emoção e alívio.

"Eu estou muito feliz. Chorei muito quando recebi essa notícia. Eu só tenho a agradecer todos os policiais envolvidos no caso. A sensação é incrível, vontade de chorar, gritar, sair correndo, muitas emoções, mas nada disso vai trazer a minha mãe de volta, infelizmente. O mínimo que poderia ser feito foi. Sempre tive esperanças", contou emocionado o estudante de nutrição, Nilton Pinto Monteiro Netto, de 24 anos.

Depois de muita campanha nas redes sociais, para que o pai fosse encontrado e preso, a irmã de Netto também comemorou. "Eu não consigo nem falar direito, não estou acreditando. Parece que eu ganhei milhões na Mega-Sena", disse Melissa Tavares.