PUBLICIDADE

Topo

Retratos

Instantâneos de realidade do Brasil e do mundo


A brasileira que colocou série de R$ 9.000 no catálogo milionário da Amazon

Danielle di Donato sonhava ser atriz, mas a vida mudou depois que fez série para Amazon - Divulgação
Danielle di Donato sonhava ser atriz, mas a vida mudou depois que fez série para Amazon Imagem: Divulgação

Elisa Soupin

Colaboração para Universa

12/07/2020 04h00

"Era para ser uma cena, virou uma série e vieram duas temporadas. Acho que se eu tivesse tentado tudo isso, não tinha rolado", diz Danielle di Donatto, atriz, roteirista e produtora executiva da serie "Sheila de Charme". Com a primeira temporada orçada em R$ 9.000, a atração conseguiu entrar para o catálogo milionário da Amazon Prime, onde está disponível desde junho deste ano.

A personagem principal da série é uma atriz que rala para decolar na carreira e que, entre bicos como motorista de aplicativo e trabalho em festas infantis, quer muito conseguir seu lugar ao sol. Nesse ponto, as histórias de Sheila e Danielle se confundem. A atriz de 33 anos faz teatro há 14 e começou a produzir conteúdo em vídeo antes disso. Acostumada a trabalhar com muito pouca verba, começou a procurar outros meios de mostrar sua atuação, já que bons papeis como atriz não apareciam.

"Comecei a desanimar um pouco por causa do retorno financeiro e da visibilidade do trabalho, que eram baixos. E fui buscar outras formas de mostrar meu trabalho. Aí, achei um mundo novo dentro do YouTube", conta ela. No início, a ideia da atriz era fazer vídeos com celular mesmo, em cima da mesa, falando sobre as dificuldades da profissão —como tantos outros youtubers pelo país.

Danielle gravou uma cena, mostrou a um amigo e ouviu que o material renderia mais que uma cena. Foi então que ela procurou uma produtora independente, a Na Veia Filmes. "Eles curtiram o projeto e abraçaram", conta ela.

Cinco dias para gravar

A partir do ok da produtora, Danielle escreveu o roteiro em modo express. "Eles estavam de mudança e tinham uma data para deixar o estúdio, então a gente tinha duas semanas para produzir e gravar", diz ela, que adaptou as cenas e o orçamento.

As filmagens dos nove episódios da primeira temporada foram feitas em 5 dias, em 2018. "A gente gravava 14 horas por dia", lembra ela. E toda a equipe trabalhou sem verba, ou quase. "O ator é a coisa mais fácil que existe, porque as pessoas querem mostrar trabalho e topam participar mesmo sem grana. O mais difícil é achar técnico de som, editor, os trabalhos invisíveis", explica.

Com a primeira temporada pronta, o trabalho foi para o YouTube. "Resolvi inscrever em um festival de webseries, o SP Web Fest. Tinham 1.500 inscritos e a gente foi um dos 20 selecionados na rodada de negócios", conta Danielle. A série chamou a atenção de uma distribuidora depois da notoriedade que alcançou no festival.

Do YouTube para a Amazon

"A Amazon Prime abriu inscrições de séries brasileiras e para a gente era uma oportunidade inédita, porque o catálogo tem muita coisa grande. Sonhava que de repente eles pudessem gostar do projeto e pedir para a gente regravar no padrão deles, já que são bem criteriosos", diz.

Mas a Amazon gostou da forma como o projeto independente e barato havia sido feito e o incluiu em seu catálogo, em que figuram obras como Homecoming, Modern Love e Little Fires Everywhere, entre outras.

A gravidez e a segunda temporada

A segunda temporada da série, gravada em 2019, também aconteceu no estilo guerrilha, com orçamento ainda menor, de R$ 8.000. No elenco, 11 atores, na equipe técnica, 7 profissionais. Com um detalhe: Danielle estava grávida.

"Eu tive um problema na gestação e passei um mês de repouso. A ideia era que eu gravasse tudo até os 3 meses, mas por conta disso, não deu, tive que ficar sem levantar da cama mesmo. Gravei até os 5 meses e meio, para a barriga não aparecer", diz ela.

A continuação da saga de Sheila em busca da fama estreia na plataforma em 3 meses.

Retratos