PUBLICIDADE

Topo

Você tem certeza que suas escolhas de beleza são mesmo suas?

Federica Sansoni/EyeEm/Getty Images
Imagem: Federica Sansoni/EyeEm/Getty Images
Fabiana Gomes

Fabi Gomes é maquiadora e bonne vivante ? gosta de das coisas boas da vida, como artes, literatura, sexo, cinema, culinária, viagens. Está sempre atenta ao poder transformador e aos rumos da beleza.

Colunista do UOL

06/07/2020 04h00

Se você já ouviu ou usa alguns destes termos: "pele de rica", "no make-up makeup", "delineador asa de anjo", "foxy eyes", "glow skin", "iluminador unicórnio", "cut crease", "antiage", "glass skin", "brow lamination", "boyish eyebrows" ou "cara de garotinha", significa que provavelmente você faz parte ou se interessa muito pela área da beleza.

Não quero emitir juízo de valor sobre essas pérolas descritivas nem entrar no detalhe de cada técnica — e olha que são muitos os detalhes, a começar pelo emprego da língua inglesa e a terminar por padrões escravizantes, que, em geral descaracterizam toda e qualquer subjetividade, passando por preconceitos de classe social, raça, gênero e idade. Bom, só isso já rende assunto para um semestre!

O lance é: muita, mas muita gente não tem a menor ideia do que são estes termos (graças a Deus!), e seguem suas trilhas por outras regras e padrões de beleza, pois é, originalidade não tá tendo. A equação dos que seguem versus os que são seguidos é desigual.

São muitas as belezas - beleza rocker, beleza do baile funk, beleza emo (ainda existe?), beleza do sertanejo universitário, beleza da academia (a do conhecimento, não dos músculos. Bem, essa também), beleza hippie e muitas mais.

Contudo, não dá para negar, há um padrão predominante, amplamente disseminado pela grande mídia - televisão, mídias sociais, anúncios publicitários -, enfim, imagens que são pensadas e produzidas para atingir as massas

E, ainda que hoje em dia algumas marcas e empresas tenham acordado para a questão racial por exemplo, quase sempre estas imagens envolvem uma mulher branca, preferencialmente de cabelos longos, se forem loiros ou com luzes, melhor, o corpo precisa ser firme, nada de banhas ou pelancas, ou seja, gordas e velhas estão fora do páreo.

Este corpo precisa refletir fartura em determinadas áreas - bundas, peitos e lábios, afinal, mulheres precisam ser sensuais e (ainda) simbolizar seu poder reprodutivo. Importante que tenham um certo rosto, uma certa boca e uma certa sobrancelha. Nem tente fugir disto, ou será expulsa do reino da beleza e das possibilidades de agarrar seu boy. Boy? Ah, não mencionei que ser heteronormativo também é uma regra? Pois é...

Pois é nada! Proponho que a gente preste mais atenção nas nossas escolhas. Elas são de fato nossas escolhas?

Provavelmente não, mas a proposta é a de que haja um 'pensar sobre', um questionamento — espera, não preciso ter o cabelo liso! Não não não, não preciso usar esta maquiagem específica todos os dias, talvez eu possa até sair sem maquiagem um dia e tudo bem.

Talvez eu possa tentar um outro estilo completamente diferente, aquele que falam que é ridículo, cafona. Isto! Amanhã quero ser cafonona. Minha filha, seja feita a tua vontade! Chega de viver na prateleira da correção, o imperfeito é belo!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.