PUBLICIDADE

Topo

Moda

Gosta de moda? Xongani e Santa Helena indicam 11 perfis para você seguir

As novas colunistas de Universa Ana Paula Xongani e Marina Santa Helena - Arte UOL
As novas colunistas de Universa Ana Paula Xongani e Marina Santa Helena Imagem: Arte UOL

Andressa Rovani

De Universa

09/07/2020 04h00

O time de colunistas de Universa ganhou dois grandes reforços para falar de moda: Ana Paula Xongani e Marina Santa Helena. Mas não é (só) de tendências que a gente quer tratar: o papo aqui é para ampliar o olhar sobre as escolhas que fazemos quando abrimos o guarda-roupa toda as manhãs (mesmo que sejam pijamas a sair dele).

Multiempresária e apresentadora do canal GNT, Ana Paula mistura conversas gostosinhas com papo-cabeça para os seus 165 mil seguidores no Instagram. "Recebi com muito entusiasmo o convite para somar neste novo timaço de colunistas. Acredito profundamente que a moda precisa cada vez mais deixar de ser uma 'lançadora de tendência' para se firmar como um lugar que ecoa as diferentes expressões de identidade a partir das coisas que a gente veste."

Consultora de estilo, apresentadora e produtora de conteúdo para as mais diversas plataformas, Marina também comanda dois podcasts que Universa adora: Estilo Possível e Um Milkshake Chamado Wanda. Só no Instagram, é acompanhada por quase 100 mil seguidores.

Marina desenvolveu peças exclusivas para marcas como Guarda Mundo e Marca Fala, além de assinar figurinos de videoclips e shows e produzir campanhas de coleções. Já Ana Paula está à frente do Ateliê Xongani, que nasceu para potencializar mulheres pretas a partir da moda.

Ah, não menos importante que todo esse currículo aí: Ana Paula é mãe da Ayo, sua "pequena potência de 6 anos", e Marina tem Teresa, que acabou de fazer 2 e já conduziu a mamãe por mergulhos em muitas áreas.

A seguir, nossas colunistas nos guiam por 11 nomes que valem a pena seguir. Considere um presente para todo mundo que faz escolhas e toma decisões em frente ao guarda-roupa todas as manhãs.

Marina Santa Helena indica

Fatma Saltwater

Eu comecei a seguir a Fatma na época da gravidez e acabamos nos tornando meio amigas, a gente conversa de vez em quando por DM. Ela é da Alemanha e tem um filho um pouco mais velho que a Teresa. Ela tem uma pegada muito legal de street, wear um estilo não romântico.

Marianne Theodorsen

A Marianne tem dois bebês, um deles deve ter três anos e o outro acabou de nascer. Também comecei a seguir durante a gravidez. Assim como a Fatma, não acho que o meu estilo seja parecido com nenhum das duas, mas é muito legal para inspiração. É um estilo com mais referências de moda. Gosto do jeito como elas usam calças e sobreposiçoes, apesar de serem mais coloridas do que eu.

Tennille Murphy

Eu comecei a seguir ela agora, durante a pandemia, quando estava buscando referências para transição para o cabelo branco natural. Ela é linda! Eu gosto muito do estilo dela, do jeito como ela se veste. E ela é comissária de bordo, então mostra muito de estilo de vida que são muito legais. Além disso, acho o estilo dela parecido com o meu.

Ana Paula Xongani indica

Aretha Sadick

Para mim, Aretha é ícone de moda, uma explosão de imagem que preenche de beleza e conteúdo meus olhos e também minha alma. Além disso, é uma transativista preta, que atua politicamente com sua arte.

Ada Oguntodu

Ada é uma referência de moda negra contemporânea e livre. Ela usa e mistura tudo. Alfaiataria, capulanas, moda vintage, tudo! Amo!

Suityourself.co

Além de ver dreads como eu (adoro!), nesse perfil encontro uma moda negra que rompe com padrões de gênero e também do que muitas pessoas que fazem cobertura de moda convencionam o que é a moda negra. Tem cor e estampa? Tem sim. Mas, não somos só cor e estampa!

Cristina Mendonça

Ela, uma mulher sexygenária, como ela gosta de dizer, é criadora de conteúdo e ama moda. Foi ela quem construiu em mim a noção de relação que a moda tem com sociedade e autoestima. E sim! Ela é minha mãe!

Brechó Fundinho

A Yasmin Stevam, empresária de moda no Brechó Fundinho, é referência de duas coisas para mim: de empreendedorismo sustentável e também de comunicação nas redes sociais.

Matheus Pasquarelli

Eu amo o Matheus porque a imagem que ele constrói questiona as masculinidades na moda e no estilo. Ele discute sociedade a partir do lugar da beleza e da estética masculina negra. Super jovem e fazendo um trabalho tão importante.

Adriana Barbosa

A idealizadora da Feira Preta, maior evento de cultura negra da América Latina, é uma referência gigante para mim. Sinceramente, penso que ela é responsável por construir um dos maiores e mais qualificados espaços de visibilidade e circulação da moda negra. Além disso, é referência do empreendedorismo em rede, de impacto.

Emicida

Pra mim, o Emicida é referência política, musical e também de moda, com a marca Lab Fantasma e todo o trabalho em torno dela. Acho que somos muito parecidos porque falamos, em diferentes espaços e frentes, da importância do autocuidado e de que não podemos falar única e exclusivamente sobre ou a partir das nossas cicatrizes. Como eu sempre digo: eu quero existir para além de resistir.

Moda