PUBLICIDADE

Topo

Universa

Iza exibe foto criança e desabafa sobre racismo: 'Não queremos morrer'

Iza - Reprodução / Instagram
Iza Imagem: Reprodução / Instagram

Colaboração para o UOL

01/06/2020 08h52Atualizada em 01/06/2020 12h16

A cantora Iza usou seu Instagram para desabafar sobre o racismo na sociedade. Citando o Brasil, com a morte do adolescente João Pedro no Rio de Janeiro, e os Estados Unidos, com o caso George Floyd em Minneapolis, a artista exibiu uma foto de sua infância e fez um longo relato sobre como espera que o mundo esteja quando ela tiver filhos.

"Essa foto é velhinha demais, mas morro de amores por ela. Acho que eu tinha uns 3 aninhos na época (me diz ai, mãe). E toda vez que eu olho pra essa foto eu penso: "Como será que meu filhote vai ser?. Sei lá, essa foto me faz questionar isso mais que outras fotos que tenho aqui em casa", começou ela.

Em seguida, a dona do hit 'Pesadão' dividiu com os seguidores seus pensamentos.

"O triste é que ultimamente eu não só me pergunto como ele será? Eu me pergunto se ele também vai passar pelas mesmas coisas que eu passei. Se vão julgar ele pela cor, pela origem, por ser quem é. Se ele vai receber olhares, julgamentos e vai até se questionar se devia estar ali. Eu rezo todos os dias para que meus filhos nasçam em mundo melhor. Um mundo que mereça seus sonhos. Um mundo que simplesmente o deixe viver".

"Eu oro para que meus filhos não vivam com medo, triste realidade nossa. Minha timeline essa semana estava repleta de manifestações e do horror que o racismo nos faz viver ainda hoje, em 2020. É inacreditável ainda termos que protestar e gritar que vidas negras importam porque até hoje, mesmo com a linda filosofia de que todas as vidas importam (e sim, todas devem importar), nós continuamos morrendo e sendo resumidos a números. Chega", pediu.

"Nós não queremos morrer. Nós, porque quando um de nós morre, todos nós morremos. Nos deixem respirar. E que todos os que estão postando sobre os últimos fatos tenebrosos não façam apenas parte de uma corrente e sim entendam que essa luta precisa de todos nós para ser vencida. Todos os dias. Pelo João Pedro, George Floyd, por todos que se foram e por todos que virão", finalizou Iza.

A cantora já havia comentado recentemente sobre seu desejo de ser mãe.

Essa foto e? velhinha demais mas morro de amores por ela. Acho que eu tinha uns 3 aninhos na e?poca (me diz ai?, ma?e). E toda vez que eu olho pra essa foto eu penso: "Como sera? que meu filhote vai ser?". Sei la?, essa foto me faz questionar isso mais que outras fotos que tenho aqui em casa. O triste e? que ultimamente eu na?o so? me pergunto como ele sera?. Eu me pergunto se ele tambe?m vai passar pelas mesmas coisas que eu passei. Se va?o julgar ele pela cor, pela origem, por ser quem e?. Se ele vai receber olhares, julgamentos e vai ate? se questionar se devia estar ali. Eu rezo todos os dias para que meus filhos nasc?am em mundo melhor. Um mundo que merec?a seus sonhos. Um mundo que simplesmente o deixe viver. Eu oro para que meus filhos na?o vivam com medo, triste realidade nossa. Minha timeline essa semana estava repleta de manisfestac?o?es e do horror que o racismo nos faz viver ainda hoje, em 2020. E? inacredita?vel ainda termos que protestar e gritar que vidas negras importam porque ate? hoje, mesmo com a linda filosofia de que todas as vidas importam (e sim, todas devem importar), no?s continuamos morrendo e sendo resumidos a nu?meros. Chega. No?s na?o queremos morrer. No?s, porque quando um de no?s morre todos no?s morremos. Nos deixem respirar. E que todos os que esta?o postando sobre os u?ltimos fatos tenebrosos na?o fac?am apenas parte de uma corrente e sim entendam que essa luta precisa de todos no?s para ser vencida. Todos os dias. Pelo Joa?o Pedro, George Floyd, por todos que se foram e por todos que vira?o. ??? #vidasnegrasimportam #blacklivesmatter

Uma publicação compartilhada por IZA (@iza) em

O negro norte-americano George Floyd foi morto na semana passada após uma operação policial. Durante a detenção, um oficial branco apoiou seus joelhos sobre o pescoço de Floyd, já imobilizado, enquanto a vítima dizia que não estava conseguindo respirar. A morte motivou uma onda de protestos contra o racismo e o fascismo em todo o território norte-americano.

Já João Pedro era um garoto de 14 anos que foi baleado e morto dentro de casa durante uma operação da Polícia Civil e da Polícia Federal no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo, região metropolitana do Rio. Mais de 60 marcas de bala foram contadas dentro da casa onde o menino foi atingido. Ontem, uma manifestação na capital fluminense lembrou o adolescente e protestou contra a violência policial.

Universa