PUBLICIDADE

Topo

Sexo

No BBB, Victor Hugo tem sentimentos por Guilherme; assexuais se apaixonam?

Victor Hugo falou para Gabi que tem sentimentos por Guilherme - Reprodução/Globoplay
Victor Hugo falou para Gabi que tem sentimentos por Guilherme Imagem: Reprodução/Globoplay

Natália Eiras

De Universa

13/02/2020 11h44

Na festa desta quarta-feira (12) no Big Brother Brasil 2020, Victor Hugo ficou todo soltinho e distribuiu declarações de amor. Ele falou para Lucas e Gabi que já nutriu sentimentos por ambos, mas que, agora, está gostando de Guilherme. O psicólogo e cientista se identificou, no início do reality show, como uma pessoa assexual, ou seja, que não tem interesse por sexo. Isso não impede, no entanto, que ele tenha interesse romântico por outros indivíduos.

"Ainda que uma pessoa não sinta desejo sexual, pode amar e desenvolver uma relação íntima com alguém. O sexo é apenas uma parte da vida afetiva", relembra a psicóloga Tati Presser. E os dois independem porque, ao contrário do que pensamos, sexualidade não está diretamente relacionada à afetividade. "Para algumas pessoas, a paixão se dá por características que nada tem a ver com gênero ou sexo, mas por características relacionadas ao indivíduo mesmo. É o jeito de falar, de tratar, o envolvimento. Existe uma série de fatores que, para muita gente, leva ao encantamento pelo outro", fala o psicólogo Breno Rosostolato, especialista em estudos de gênero.

Por isso, por mais que Victor Hugo seja assexual, ele pode apaixonar-se e ter uma orientação romântica que pode ser homo, hetero ou biafetiva. "Orientação sexual implica estabelecermos padrões de atração para determinado tipo de característica ou pessoa. A orientação romântica é valorização fora do sexo, extragenital, e se baseia em amor, em carinho e outros estados de humor mais complexos", explica psicoterapeuta sexual Oswaldo Rodrigues Jr., do Instituto Paulista de Sexualidade, de São Paulo.

A parte difícil, no entanto, é encontrar um parceiro que esteja disposto a ter uma relação nesses moldes. Afinal, aprendemos que, se não há vida sexual ativa em um relacionamento romântico, temos um problema. "Há uma construção social de amamos porque fazemos sexo e fazemos sexo porque amamos", fala Rosostolato. "Mas, quando a gente pensa nessa separação entre amor e sexo, passa a entender o ser humano com uma riqueza de possibilidades. Abre-se um leque de pluralidade."

*reportagem feita com informações de "Assexuais; é possível ser feliz sem sexo, como Victor Hugo do BBB?" e "Sou lésbica, mas me apaixonei por um homem; o que é orientação romântica?"

Sexo