Topo

Mães e filhos

Isis Valverde: "Pai cuidar do filho não pode ser uma novidade em 2019"

Isis Valverde posa para as lentes da L"Officiel - Divulgação/L"Officiel
Isis Valverde posa para as lentes da L'Officiel Imagem: Divulgação/L'Officiel

De Universa, em São Paulo

05/11/2019 13h42

Isis Valverde posou para a capa da L'Officiel e deu entrevista falando sobre feminismo, maternidade, carreira, moda e muito mais. A atriz contou que nunca pensou em parar de trabalhar após ter o primeiro filho, Rael.

"Eu me entreguei de corpo e alma à maternidade, mas já me sentia pronta para voltar ao batente. Eu me nutro muito do meu trabalho, e preciso atuar para me sentir completa e plena. Ele está maior, tem um pai incrível que divide comigo essa tarefa e temos uma rede de apoio", definiu.

Por falar no pai do pequeno, André Resende, Valverde abordou a "polêmica" causada quando deixou Rael aos cuidados dele, indo viajar à trabalho. "Eu recebi muito apoio na verdade. Porque isso virou uma manchete e nem deveria ser, já que dizer que um pai está cuidando do próprio filho não pode ser uma novidade em 2019", cravou.

"E muitas, muitas pessoas, especialmente mulheres, se indignaram por isso ter virado uma notícia. Mas achei bom ter ocorrido porque abriu espaço para um debate amplo e acho que fez muita gente refletir e repensar conceitos machistas. André é meu sócio na nossa família, meu parceiro na criação do nosso filho e a responsabilidade de cuidar dele é de nós dois", completou.

Até por isso, a atriz acha "fundamental" conversar sobre a romantização da maternidade. "Ter meu filho foi a coisa mais maravilhosa e transformadora que já vivi, mas nada prepara você para isso. Você sente insegurança, medo de não dar conta, de não estar fazendo o melhor ou o certo", admitiu.

Divulgação/L'Officiel
Imagem: Divulgação/L'Officiel

Feminismo e moda

Para Valverde, o feminismo vem do berço. "Fui criada numa família de mulheres muito fortes. Minha avó e minha mãe sempre foram à frente do tempo delas e me ensinaram desde pequena a ser independente, lutar por direitos iguais e a não aceitar calada nenhum tipo de opressão vindo da estrutura machista em que sempre vivemos", contou.

"Tenho um filho homem que pretendo educar, ao lado do André, da melhor forma possível, ensinando desde pequeno o que é a equidade entre homens e mulheres e a respeitar as diferenças. Vou dar o melhor de mim", garantiu.

Ela diz também que, conforme os anos passam, se vê "cada vez mais apaixonada" pela moda, e especialmente a moda sustentável. Ela cita a estilista Vivienne Westwood como um exemplo a se seguir, lembrando o seu lema: "Compre menos, escolha bem e faça durar".

"Acho, na verdade, uma bobagem isso de não poder repetir roupa. Até a princesa Kate [Middleton] repete roupa, e não há atitude mais sustentável. Também adoro um brechó. E acho que não tem nada mais legal que ressignificar peças e renovar a energia trocando, doando, comprando algo que já tem a história", relatou.

Mães e filhos