Topo

Vítima de Epstein diz que nadou em meio a tubarões para fugir de abusos

Jeffrey Epstein - HO / New York State Sex Offender Registry / AFP
Jeffrey Epstein Imagem: HO / New York State Sex Offender Registry / AFP

De Universa

17/09/2019 13h03

As vítimas do bilionário Jeffrey Epstein, acusado de tráfico e abuso sexual de mulheres e adolescentes começam a sentir confiança para falar.
Sarah Ransome, deu uma entrevista ao jornal britânico Telegraph, onde contou que foi levada a uma ilha no Caribe que pertencia a Epstein, onde chegou a ser estuprada três vezes por dia.

Para fugir dos abusos, ela nadou no mar repleto de tubarões. Porém Epstein tinha câmera em toda a ilha e ela foi recuperada por seus cúmplices.
Na época, a mulher tinha 22 anos e tinha acabado de se mudar de Edimburgo para Nova Iorque, em busca de um trabalho na indústria da moda.

Ela explica que foi agenciada por outra mulher em uma balada, que disse que conhecia uma "milionário filantropo" que ajudaria Ransome a conquistar seus sonhos.

No início ela não percebeu nada de errado. "Ele era tão charmoso, carismático. Nós fomos ao cinema e eu tinha apenas 22 anos", lembra.

Pouco tempo depois, ela foi convidada para a ilha de Epstein no Caribe e foi lá que as torturas começaram. Além dos estupros, o bilionário insistia em controlar todos os aspectos da vida da jovem, inclusive seu peso. Por conta disso, sua alimentação consistia em fatias de tomate e pepino.

Epstein foi encontrado morto em uma cela no mês passado. A perícia confirmou se tratar de suicídio. A vítima ainda desconfia dessa versão.

O bilionário era amigo de muitas pessoas influentes, como o presidente dos EUA, Donald Trump, o ex-presidente dos EUA, Bill Clinton e o príncipe Andrew, do Reino Unido.

Mais Violência contra a mulher