Topo

Silas Malafaia nega que seja tio de rapaz que o criticou nas redes sociais

O pastor Silas Malafaia - Mauro Pimentel/AFP
O pastor Silas Malafaia Imagem: Mauro Pimentel/AFP

De Universa

17/09/2019 10h12Atualizada em 17/09/2019 10h30

O pastor Silas Malafaia negou hoje que Rodrigo Westermann, noivo do ex-The Voice Brasil Leandro Buenno, seja seu sobrinho. Ontem, o rapaz fez uma publicação no Instagram com críticas a Malafaia, de quem disse ser sobrinho-neto.

Em sua conta no Twitter, o pastor atacou o rapaz e disse que ele não é seu parente. "Só pode ser piada. Um gaiato, porque tem Malafaia no nome, diz que é meu sobrinho. De que irmão meu ele é filho? Nenhum. O ramo de Malafaia, que pertence a origem de meu pai e tios, são mais de 300 pessoas. Quer aparecer? Arruma outro bode expiatório. Palhaço! Mentiroso!", escreveu.

Em uma segunda publicação, Malafaia criticou a imprensa por ter dado espaço à publicação de Westermann no noticiário nacional.

"A imprensa a cada dia se desmoraliza. Um camarada, que é gay e vai casar, resolveu aparecer às minhas custas porque tem o nome Malafaia. Não pertence ao ramo da minha família, ninguém o conhece, não é meu sobrinho. A imprensa dá voz a um pilantra desse. Absurdo!", disse o pastor

Em um desabafo publicado ontem no Instagram, Westermann disse que seu último sobrenome, Malafaia, é "difícil de lhe descer pela goela". Isso porque, segundo ele, a família o criou com diversos preconceitos.

"A Igreja pregou todos os preconceitos a mim, com ódio. Assim como meu parente vive pregando, o qual não preciso nomear. Eu sou muito abençoado de ter saído disso sozinho, ou melhor, por Deus. A minha conexão com Deus é muito maior do que vocês ditam", afirmou o rapaz.

Eu fui criado no evangelho, quem me conhece a muito tempo sabe muito bem, meu nome é Rodrigo Westermann M a l a f a i a último nome do qual é difícil de me descer na goela. Cresci apanhando e ficando de castigo por tudo, inclusive por estar com sono as 7 da manhã e não querer ir na igreja. Ok, serviu como disciplina, me considero uma pessoa bem disciplinada. Mas esse suposto cuidado de vocês poderia ter me levado a tantos lugares ou mesmo me tirado a vida. Com 13 anos entrei em coma alcoólico por 2 dias depois de inúmeras doses de insulina acordei do nada, um milagre de um Deus que me ama como eu sou, é claro, segui bebendo e muito e sim eu tinha apenas 13 anos. Prometi mil vezes mudar, arrumei namoradas de mentira, fugi de casa, apanhei mais muitas vezes. Mas um Deus (longe do Deus vocês pregam) me tirou dessa vida hipócrita, mentirosa e cheia de preconceito e ódio. E acreditem esse meio evangélico é muito pesado, não é só o mundo como é pregado. Eu sozinho me forçei a parar de achar todo mundo errado, menor, endemoniado, ou qualquer coisa do tipo. A igreja pregou TODOS os preconceitos a mim, com ódio. Assim como meu parente vive pregando, o qual não preciso nomear. Eu sou muito abençoado de ter saído disso SOZINHO, ou melhor, por Deus. A minha conexão com Deus é muito maior do que vocês ditam. Passei por depressão, perdi o maior amor da minha vida, sofri um relacionamento abusivo, fui ameaçado de morte, sobrevivi, depois de me sentir seguro e melhor tive crises de ansiedades bem fortes que poderiam ter me levado a morte, e é isso mesmo A MORTE. E nunca duvidei ou me revoltei com ele. Mas ninguém da minha família estava lá, ninguém soube (além do meu irmão que eu pedi ajuda) e da minha mãe que cuida de mim TODOS OS DIAS. A religião cega vocês e o amor que vocês pregam é infelizmente FALSO. Isso não é amor. E graças a Deus, eu tenho muito amor em mim e ao meu redor. Eu vou casar com a pessoa que mais cuida de mim e me faz feliz na vida e não recebi um LEGAL de ninguém da minha família. Quer saber? Com toda educação: FODA-SE sua crença.

Uma publicação compartilhada por Rodrigo Westermann (@rodrigowm) em

Mais Diversidade