Topo

Deu Match!?


Será que vale a pena a versão paga do Happn? Nós testamos

Pagar parece não valer a pena para quem curte o app - Divulgação
Pagar parece não valer a pena para quem curte o app Imagem: Divulgação

Eligia Aquino Cesar

Colaboração para Universa

10/08/2019 04h00

Imagine a seguinte situação: um rapaz mexe no celular enquanto está no transporte coletivo. Ao mesmo tempo uma garota o observa atenta, com jeito de quem está interessada, mas, como não é notada por ele, que está entretido no smartphone, o que poderia ser uma possível paquera, morre, antes mesmo de nascer. Já foi testemunha de uma situação como essa? Ouviu alguém usar exemplos assim para dizer que o mundo digital está acabando com as paqueras nos dias de hoje?

Pensando em preencher essa lacuna, em 2014, foi lançado o Happn, app de paquera baseado em geolocalização que permite ao usuário encontrar pessoas que cruzaram seu caminho na vida real. O aplicativo conta com uma versão gratuita e também com o Happn Premium, versão paga que pode ser assinada por períodos que variam de 1 a 12 meses, custando R$ 79,90 mensais. O "Deu Match?!" testou as duas versões e conta para você as principais diferenças entre elas e se vale a pena investir na assinatura.

Nada entre o crush e você

Quem se irrita com propagandas entre partidas de jogos no celular ou vídeos no Youtube, certamente, deve quase infartar quando elas aparecem no app de paquera, meio que cortando o clima. Dessa forma, se livrar dos anúncios na versão paga é uma benção: é só deslizar o dedo na tela e curtir os pretendentes.

Só vou gostar de quem gosta de mim

Se o que te atrai no Happn é esperar para ver se aquela pessoa que você achou interessante também te curtiu, talvez essa funcionalidade não te atraia tanto. Porém, caso você seja alguém que curta a ideia de dar um like na certeza que o outro te curtiu também ou até mesmo que queira fugir da ansiedade de ficar esperando a resposta do outro, esse benefício é ótimo.

Invisibilidade providencial

Por mais que usar os apps para paquerar seja algo cada vez mais comum, muitas pessoas se sentem intimidadas em utilizá-los em determinados ambientes, como no trabalho, por exemplo. Portanto, ter uma funcionalidade que permita deixar seu perfil invisível durante o período que você desejar é um belo diferencial.

Será que tanto mistério assim é bom?

Ocultar idade, data de atividade e sua distância pode parecer legal a princípio, mas, se você pensar bem essa é uma funcionalidade meio desnecessária, que pode fazer perder pretendentes. Primeiro porque na versão gratuita, se a idade for algo determinante para o usuário, é possível delimitar uma faixa etária de interesse. Então, ocultar essa informação não é um grande diferencial. Outra questão é se realmente vale a pena ocultar sua distância em um app de paquera por geolocalização. Parece contraditório.

Direto ao ponto

Dar um "Like" é uma ação secreta na versão gratuita do Happn, já que na versão paga seus pretendentes podem até desconhecer seu interesse, mas você sabe quem está afim de você. Essa lacuna pode ser preenchida com um "Oi", que notificará o crush sobre seu interesse. A partir daí, ele decidirá se quer seguir com a conversa ou não. Na versão gratuita você pode usar uma vez essa funcionalidade em 24 horas, já os pagantes têm direito a dez "Oi" por dia. Se você for adepto do ditado que diz que "quem não arrisca, não petisca", é só se jogar e ser bem direta em relação ao seu interesse.

Opinião

A ideia de encontrar pessoas que cruzaram seu caminho -- mesmo que não seja tão literalmente assim -- é uma bela sacada do Happn, que ajuda, inclusive, a dar um ar de romance ao app. É inegável que a versão paga é bacana por oferecer vantagens que permitem aos usuários sair na frente no jogo da conquista. Porém, quando o valor cobrado por esse benefício é colocado na balança, fica claro que o Happn precisaria oferecer funcionalidades bem mais atraentes para compensar o investimento.

Mais Deu Match!?