Topo

Aliança no 1º date? Elas tiveram encontros "emocionados" e contam histórias

Beijar um desconhecido....E ele achar que vocês estão namorando? - Astarot/iStock
Beijar um desconhecido....E ele achar que vocês estão namorando? Imagem: Astarot/iStock

Nathália Geraldo

De Universa

06/11/2019 04h00

Paixão, romance, amizade e também muito "climão"...Um primeiro encontro após o match em aplicativos de paquera pode ser uma experiência antropológica. Como será que duas pessoas que pouco se conhecem vão agir assim que olharem uma para a outra?

Bem, uma thread que viralizou no Twitter reuniu algumas histórias de quem só queria dar uns beijos ou ir a um barzinho, mas acabou quase casando com o pretendente.

Primeiro encontro "emocionado": elas contam o que viveram

No Twitter, a usuária @anarcobs resolveu suscitar as memórias de quem estava feliz e esperançoso de encontrar uma pessoa para se relacionar pelos aplicativos de paquera, mas viveu uma situação bizarra logo no início da relação. Alguns dos usuários lembraram quando, logo no primeiro encontro, se depararam com pessoas exageradas demais (mas não tanto quanto este casal, Paul e Sarah Edwards, que se casou após o date).

"Quem tá solteiro aí?"

A estagiária de relações internacionais Carla*, 21 anos, foi uma das que contribuíram com uma história do "fim da solteirice após 20 minutos de beijo". Ela conta que começou a dançar em um show e percebeu que rolou aquela química com um menino.

"Estava no show e a gente nunca tinha se visto, ficamos por uns 20 minutos, e o cantor perguntou no palco quem estava solteiro. Eu dei um grito! Ele virou para mim e perguntou: a gente tá solteiro? Só fiz uma cara de interrogação e confirmei com a cabeça". Foi uma amiga que salvou Carla desse "namoro express". "Eu disse que precisava ir ao banheiro com ela e fugi dele".

Dois dias depois do 'match'

via GIPHY

A publicitária Juliana Assunção viveu um "romance intenso" com um homem que conheceu no OkCupid. Depois de dois dias de conversa virtual, pelo app e pelo WhatsApp, os dois foram se encontrar em um barzinho.

"Eu estou solteira há anos e só agora resolvi entrar nesses apps de relacionamento. Entrei no Tinder e Okcupid para conseguir conhecer algumas pessoas novas. Teve um dos matches que se sobressaiu, com esse 'moço'.

Ele era lindo, bem o meu tipo, tínhamos gostos e interesses parecidos. Conversamos pelo app direto por quase uma hora e a conversa estava supermaneira. No WhatsApp, ficamos dois dias trocando algumas mensagens para combinar um barzinho no final de semana.

Daí o sábado chegou, nos encontramos, pedimos uma cerveja e o santo bateu. Papo supergostoso e variado. Falamos de trabalho, da vida, do cotidiano, interesses em comum. Até que acabou nossa cerveja e concordamos em pedir mais uma garrafa.

Eu chamei o garçom bem descontraída ('hey, champs, vê mais uma') e uns minutos depois, ele veio nos servir. Até que meu date fala: 'cara, deixa eu te apresentar ela? Essa é a Juliana!'. Aí o garçom sorriu meio sem graça. Pensei se o moço já tinha bebido demais e estava tentando socializar com desconhecidos. Infelizmente, ele não estava bêbado".

Juliana conta, então, que ouviu palavras para as quais não estava preparada.

"Ele falando para o garçom, ainda: 'cara, eu conheci ela em um app e desde que a gente deu match eu já tinha certeza. Então, ele se dirigiu a mim: 'Ju, eu nunca tive tanta certeza na minha vida de uma coisa'.

E eu com a maior cara de interrogação e inocência do mundo: 'o que, moço?'. Então, ele se levantou, pegou um pacotinho do bolso da calça, se ajoelhou na minha frente. Quem estava em volta já mandou um "Ahhhh, que lindo!" e ele me solta a desgraçada da pergunta com uma aliança na mão: 'Juliana, você quer namorar comigo?'.

A galera em volta começou a aplaudir e mandar vários "Ahhhhh". Segurei na mão dele e falei só: 'que p* é essa?'. Ele ficou repetindo a pergunta com um sorriso na cara. Falei baixinho só para ele se sentar que eu responderia", conta.

"Ele voltou para a cadeira dele, eu tomei o último gole do meu copo e fiz que negativo com a minha cabeça. E ele começou a questionar: 'Mas por que? A gente é perfeito junto, por que não?'.

Enfim, eu só repeti o não, peguei minha bolsa e fui para o caixa. Ele não me seguiu e nunca mais o vi nem falei com ele. Credo".

Uma foto com quem nunca mais vi

No Twitter, outros comentários mostraram que tem mais gente exagerando no primeiro encontro:

"Fomos jantar num italiano mais antigo, tinha aqueles fotógrafos que ficam circulando. Ele segurou minha mão e chamou o tal fotógrafo. Hoje tenho uma foto de casal impressa num porta retrato de acrílico com alguém que nunca mais vi na vida", contou uma usuária.

"Saí uma vez com um cara que conheci na minha aula de canto. Não curti, ele ficou insistindo para um segundo encontro. Quando disse que não ia rolar, ele me mandou uma mensagem quilométrica e concluiu dizendo 'eu te via como uma futura namorada e você feriu meus sentimentos'", revelou outra.

"Conheci a menina pelo Instagram, conversamos muito pouco e a convidei para sair. Umas duas horas de date e alguns beijos depois, ela diz: eu sou muito ciumenta mas não vou te impedir de fazer nada", relatou outro usuário, um pouco assustado com a abordagem da pretendente.

*O nome da entrevistada foi trocado a pedido dela.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Deu Match!?