PUBLICIDADE

Topo

Mayumi Sato

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Pandemia deixou sua libido em baixa? O tantra pode te ajudar!

Mayumi Sato Mayumi de Andrade e Silva Sato

Mayumi Sato é meio de exatas, meio de humanas. Pesquisadora e diretora de marketing do Sexlog quer ressignificar a relação das pessoas com o sexo e, para isso, acredita que é preciso colocar a mão na massa, o que inclui decodificar o comportamento humano. Ao longo dos anos, estudando e trabalhando com o mercado adulto, passou a fazer parte de uma rede de mulheres interessadas e ativistas no assunto, por isso sabe que não está "não estamos" só. Idealizadora do cínicas (www.cinicas.com.br) e feminista sex-positive.

Mayumi de Andrade e Silva Sato

Colunista de Universa

30/05/2021 04h00

Não sei como anda a libido por aí, mas a minha tem variado entre nula e inexistente. Se lá no início da pandemia a minha preocupação era passar um longo período reclusa e aguentar o tédio e o tesão, agora, o segundo item — pelo menos — deixou de ser um grande problema.

Mas como eu gosto de cutucar a onça com vara curta (opa!), fico me perguntando como fazer essa chama do desejo arder novamente. Principalmente porque eu sei que tem mais gente sofrendo desse mal da ausência de libido por aí. Pessoas solteiras, casais, quem não viu o tesão sumir, não viveu no Brasil nos últimos 12 meses.

Pensando nisso, lembrei da Thamy e da Escola Yoni, de práticas tântricas. Ela, que é psicóloga de formação e atua há 11 anos com o tantra, criou a escola durante a pandemia justamente para dar conta de atender pessoas com ansiedade, depressão e falta de libido. O legal é que as práticas são todas on-line, para executar em casa, o que tornou tudo muito mais acessível e democrático.

Chamei-a para um bate-papo para desabafar sobre a minha realidade atual de pessoa-sem-libido e ver se seria o caso de embarcar em um dos seus cursos para me ajudar a mudar esse cenário:

Thamy, me ajuda! Não aguento mais pandemia e essa conversa de ter que se reinventar toda hora pra manter o tesão em alta. Não quero mais novidades! rs Quero só a minha libido de volta. Será que o Tantra, sendo filosofia e prática milenares, pode me ajudar? E os casais, podem ser ajudados também?

Com certeza! Tantra serve para ajudar o casal a se reconectar, ajudar a ampliar o repertório na hora da intimidade. Mas, isso é a parte superficial, porque no fundo é uma ferramenta de autoconhecimento muito profundo e tudo vai depender também até onde a pessoa está disposta a ir.

E realmente, 2020 foi o ano recorde de divórcios, a pandemia pegou muito casal em cheio. Mas também existe o outro lado: a ideia de que casamento feliz é o casamento que tem sexo todo dia, daí essa necessidade de ter que se reinventar.

Acho que é interessante pensar no tantra como uma ferramenta de conexão. Por exemplo, um casal que está numa fase morna, que não tem tido muita vontade de sexo, pode usar uma técnica de massagem, que não necessariamente vai acabar em penetração, mas vai gerar uma interação gostosa e interessante pra manter o amor, o carinho e o desejo.

Casamento é desafiador e acho que temos que tirar de vista a expectativa de sempre ter um frio na barriga e valorizar a parceria mais profunda mesmo da relação. O tantra pode ajudar nisso também.

Me conta na prática como funciona a experiência do tantra com os casais?

O casal pode passar por uma experiência de vivência, que é maravilhosa! Uma terapeuta fica junto com eles, guiando uma vivência tântrica que envolve meditação em dupla, exercícios de conexão, troca de massagem. É muito bom e gostoso! Podem aprender as técnicas de massagem para aplicar um no outro ou receber a massagem simultaneamente. Quando o casal chega até nós, conversamos para entender as necessidades e expectativas deles e a partir disso explicamos cada processo.

E pra quem não está num relacionamento agora, funciona também?

Sim, com certeza! Essa é a proposta central da Escola Yoni atualmente. O curso é on-line e funciona super bem para quem está só: temos práticas de meditação, exercícios de respiração... as pessoas estão relatando experiências bem profundas de limpeza, choro, crises de riso e até orgasmos.

Pra se beneficiar do tantra, é preciso adaptar um pouco o estilo de vida? Eu passo a semana mergulhada em trabalho, calls, Whatsapp, tomando toda a Coca Zero que encontro no mundo, passando de uma tela para outra. Não tô exatamente zen, sabe? O tantra pode me ajudar a entrar no clima mesmo que por períodos breves da minha semana?

Dá sim! É possível realizar uma prática no meio do período do trabalho, por exemplo. Tirar 5 minutinhos para respirar profundamente, se centrar, alongar e mexer o corpo e acalmar a mente. Não é preciso ter 1h livre, achar um local silencioso, sentar em posição de lótus para só então respirar e se concentrar.

Meditar tem que ser algo simples: respiração, concentração e daí vem naturalmente a sensação de leveza.

E para quem não pode começar um curso de tantra agora, seja por tempo, investimento ou porque ainda não foi convencido, tem alguma dica que pode nos ajudar a atravessar esses tempos difíceis sem deixar a libido sumir?

Sim, vamos lá: respire com consciência. Puxe o ar bem lentamente pelo nariz, solte lentamente pela boca e deixe sair um som natural. Repita isso 7 vezes. O alívio das tensões físicas e emocionais é imediato.

Pra quem está só, a dica é: se toque, não tenha medo ou vergonha. Orgasmo é uma bomba de hormônios de prazer. Para os casais: pratiquem massagem um no outro. Esse toque, além de carinho e relaxamento, pode abrir as portas do desejo e do tesão.

Ok, me sinto pronta para testar um caminho novo e, quem sabe, me reconectar com algo adormecido por aqui. E você, como anda a libido, topa conhecer o tantra?

Bate-papo com Thamy, da Escola Yoni, de práticas tântricas, criada na pandemia para atender pessoas com ansiedade, depressão e falta de libido.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Mayumi Sato