PUBLICIDADE
Topo

Pixel 6 será lançado com processador feito pelo Google; saiba como assistir

Lucas Carvalho

De Tilt, em São Paulo

19/10/2021 04h00

Sem tempo, irmão

  • Google lança hoje os novos celulares Pixel 6 e Pixel 6 Pro
  • Principal novidade é o novo processador Tensor, criado pelo próprio Google
  • Transmissão ao vivo começa às 14h (de Brasília) no canal do Google no YouTube

O Google realiza hoje (19) um evento virtual para lançar oficialmente seus novos celulares, o Pixel 6 e o Pixel 6 Pro. A transmissão ao vivo será feita pelo canal oficial do Google no YouTube e começa às 14h (horário de Brasília).

Embora não sejam vendidos oficialmente no Brasil, os celulares da linha Pixel são conhecidos pela câmera de alta qualidade, que rivaliza com os melhores telefones da Samsung e da Apple, e pelo Android sempre atualizado e configurado pelo próprio Google. Esse combo faz algumas pessoas comprarem o smartphone fora do país para usar por aqui.

A principal novidade da sexta geração do Pixel é o processador Tensor, um chip desenvolvido pelo próprio Google e que, segundo a empresa, usa especificações de computadores bem mais potentes para rodar algoritmos de inteligência artificial em alta velocidade.

Curiosamente, o Google não fez muito segredo sobre o Pixel 6 e várias informações sobre o aparelho já foram divulgadas nos últimos meses. Mas ainda há espaço para algumas surpresas no evento de hoje.

O que já sabemos sobre o Pixel 6

Em agosto, o Google anunciou o Pixel 6 e o Pixel 6 Pro em uma sessão reservada para jornalistas da imprensa norte-americana. Além de confirmar os nomes e as duas versões do aparelho, a empresa também deu os primeiros detalhes sobre o processador Tensor.

Desde a primeira geração, lançada em 2016, a linha Pixel usava processadores da Qualcomm, principal fabricante de chips para celulares Android no mundo. Desta vez, porém, a aposta do Google é num processador desenvolvido pelo seu próprio time de engenheiros.

Entre os componentes que formam o Tensor está a TPU (unidade de processamento de tensor), que fará o processamento das tarefas de inteligência artificial do Pixel 6, e o Titan M2, uma espécie de chave de segurança que faz a criptografia dos dados no celular.

"Nas coisas básicas que as pessoas procuram, [o Pixel 6 com processador Tensor] será muito competitivo, mas as coisas de IA serão totalmente diferenciadas", disse Rick Osterloh, chefe de hardware do Google, ao site The Verge.

tensor - Divulgação/Google - Divulgação/Google
Ilustração do Tensor, chip do Pixel 6 que abriga o processador do telefone
Imagem: Divulgação/Google

Alguns outros detalhes da ficha técnica também já foram divulgados. O Pixel 6 terá uma tela de 6,4 polegadas (16,2 centímetros na diagonal, de um canto ao outro) com bordas planas, resolução Full HD e taxa de atualização em 90 Hz.

Já o Pixel 6 Pro terá uma tela maior de 6,7 polegadas (17 cm) com resolução Quad HD e bordas curvas. As duas versões do aparelho vêm com leitor de impressões digitais integrado à tela e o mesmo processador Tensor.

Outra diferença é nas câmeras traseiras: o Pixel 6 vem com duas lentes, uma grande-angular e outra ultra-wide, para capturar mais conteúdo; enquanto o Pixel 6 Pro terá, além dessas duas, uma terceira lente do tipo periscópio capaz de fazer zoom óptico de 4x sem perder qualidade.

O visual também já não é segredo: o Google já liberou várias fotos dos aparelhos que mostram o visual colorido e a lombada da câmera na parte traseira. Os jornalistas que já puderam tocar (mas não fotografar) o aparelho dizem que ele tem traseira de vidro e moldura de alumínio.

pixel6 - Reprodução/@evleaks - Reprodução/@evleaks
Pixel 6 Pro
Imagem: Reprodução/@evleaks
pixel6 - Reprodução/@evleaks - Reprodução/@evleaks
Pixel 6
Imagem: Reprodução/@evleaks

Para completar, o Pixel 6 será o primeiro celular com Android 12 já instalado de fábrica e deve ser o primeiro da fila nas futuras atualizações do sistema operacional. Rumores indicam que o telefone terá cinco anos de atualizações garantidas, chegando até o Android 17.

O que não sabemos ainda sobre o Pixel 6

Embora o Google diga que o processador Tensor será "muito competitivo" em "coisas básicas", ainda não dá para saber exatamente como ele se compara a um A15 Bionic, usado no iPhone 13, ou a um Snapdragon 888, usado no Galaxy Z Fold 3, da Samsung, por exemplo.

O Google não revelou as especificações da CPU e da GPU que vão no chip, por exemplo. Também não sabemos ainda quais serão as opções de memória RAM e de armazenamento disponíveis.

Dados de testes de desempenho vazados apontam que a performance do Tensor é 80% melhor que a do Pixel 5, lançado em 2020 com um processador intermediário Snapdragon 765G, da Qualcomm.

Também resta saber quais serão as especificações das câmeras dos novos Pixels. Rumores indicam que a lente principal será de 50 MP e a ultra-wide será de 12 MP; e que a lente periscópio do Pixel 6 Pro terá nada menos que 48 MP. Não há informações sobre a câmera frontal, porém.

O evento de hoje também deve finalmente revelar qual será a capacidade da bateria dos novos Pixels. Mas o grande segredo é o preço.

Especula-se que o Pixel 6 e o Pixel 6 Pro sejam lançados custando entre US$ 750 e US 1.050 (de R$ 4.080 a R$ 5.515, em conversão direta), respectivamente —a mesma faixa de preço do iPhone 13 vendido nos EUA.