PUBLICIDADE
Topo

Só faltava essa! Cão-robô ganha arma de alta precisão (e câmera térmica)

Cão-robô armado com rifle - Reprodução/Ghost Robotics
Cão-robô armado com rifle Imagem: Reprodução/Ghost Robotics

Felipe Mendes

Colaboração para Tilt, em São Paulo

15/10/2021 13h10

Robôs com quatro "patas" com altas tecnologias já são uma realidade, com diversas novidades sendo apresentadas recentemente. A mais nova inovação, contudo, parece nos colocar mais próximos ao episódio "Metalhead", da série "Black Mirror", onde um cães-robôs são usados para caçar humanos.

Isso porque a Ghost Robotics, empresa especializada em plataformas robóticas, tem um novo robô equipado com um rifle, que possui câmeras diurnas e noturnas com alcance de 1.200 metros, além de precisão de 6,5 milímetros. Em uma postagem no Twitter, a companhia divulgou uma imagem do seu novo "cão de guarda".

Ainda não está claro se a empresa já está comercializado o equipamento ou ainda é uma propaganda para atrair interessados. De qualquer forma, tecnologias parecidas já estão em testes com exércitos de alguns países.

A Força Aérea dos Estados Unidos, por exemplo, já testa atualmente uma versão desarmada desses robôs para auxiliar na segurança de perímetro na Base Aérea de Tyndall, na Flórida.

O robô com rifle

Apresentado na conferência anual de 2021 da Associação do Exército dos Estados Unidos, o cão-robô armado foi desenvolvido em parceria com a Sword Defense, especializada em armamentos, e vem equipado com o Special Purpose Unmanned Rifle (rifle não tripulado de uso especial, na tradução livre).

Em entrevista ao New Scientist, o presidente-executivo da Ghost Robotics, Jiren Parikh, descartou que o rifle seja um sistema de armas autônomo (ou seja, que funciona sem a interferência de pessoas). "É totalmente controlado por um operador remoto", diz Parikh. "Há um humano controlando a arma, não há autonomia ou IA".

Apesar de não dar grandes informações sobre o funcionamento do cão-robô, Parikh afirmou que ele possui capacidade de se mover em terrenos difíceis, o que lhe permite assumir uma posição adequada para tiros de franco-atirador — enquanto o operador fica escondido, fora da linha de fogo.

Exército francês também testa cão-robô

Os norte-americanos não são os únicos testando tecnologias desse tipo. O exército francês testou, em março deste ano, o Spot, da empresa Boston Dynamics.

Segundo o jornal francês Ouest-France, Spot é apenas um dos robôs em teste usados pelo Exército Francês. Durante a atividade, oficiais da força de segurança buscavam entender como a robótica poderia ajudar em dinâmicas de batalha. Para isso, cada exercício militar foi feito duas vezes: uma sem e outra com robôs.

O resultado foi considerado positivo, embora o resultado final não tenha saído como a encomenda: a bateria dele acabou no meio do combate.

Robôs que carregam água

Os cães-robôs vêm ganhando cada vez mais espaço nas empresas especializadas. Em junho deste ano, a empresa chinesa Unitree Robotics revelou um cão-robô que acompanha o dono em corridas e ainda carrega água para ele.

Lembrando bastante o Spot, o cãozinho eletrônico, chamado de Go1, custa US$ 2.700 (cerca de R$ 14,7 mil, na cotação atual) e pode fazer parte de tarefas do dia a dia das pessoas, como corridas, um passeio de bicicleta ou uma volta de skate.

Robôs Atlas e Spot, da Boston Dynamics - Divulgação - Divulgação
Robôs Atlas e Spot, da Boston Dynamics
Imagem: Divulgação

Ginástica e dança

Mas não são apenas os cães-robôs que se destacam. A Boston Dynamics vem divulgando alguns vídeos com suas tecnologias articuladas que acabam viralizando. No final de 2020, a empresa divulgou um vídeo com vários de seus robôs dançando e desejando um feliz ano novo para as pessoas.

O vídeo, de cerca de três minutos, começa com os passos do robô Atlas. É um humanoide com aproximadamente 75 quilos, capaz de realizar atividades como corrida, ginástica e dança. Participam do vídeo o Spot e o Handle, um robô de 1,98 metro de altura.

O sucesso foi tanto, que o vídeo foi compartilhado pelo bilionário Elon Musk.

Já em agosto deste ano, a empresa mostrou mais qualidades do robô humanoide Atlas praticando parkour. Os robôs saltam rapidamente, passando por sobre alguns vãos, caminham sobre vigas estreitas e até dão um salto mortal para trás, lembrando os melhores praticantes da modalidade.

Robôs policiais em Cingapura

Recentemente, um robô-patrulha testado em Cingapura gerou polêmicas por vigiar cidadãos, o que poderia tirar a privacidade das pessoas.

O que já se sabe sobre a tecnologia é que esses robôs emitem alertas para quem se envolve em "comportamentos sociais indesejáveis", como fumar em área proibida, estacionar indevidamente a bicicleta ou violar as regras de distanciamento social por conta do coronavírus.

Outro ponto de patrulha é com quem joga chiclete no chão. Quem for flagrado fazendo isso na rua ou carregando grandes quantidades do produto pode ser multado em até mil dólares (cerca de R$ 5,5 mil).