PUBLICIDADE
Topo

Pane no Facebook foi grave e impediu até funcionários de trabalhar; entenda

Lucas Carvalho

De Tilt, em São Paulo

04/10/2021 16h29Atualizada em 04/10/2021 21h03

Os aplicativos WhatsApp, Facebook e Instagram ficaram fora do ar globalmente desde por volta de meio-dia (de Brasília) por sete horas. Ninguém conseguia enviar mensagens ou carregar novos posts. E, até agora, o Facebook, dono dos outros dois serviços, não explicou o motivo.

O que rolou?

Ainda não há uma explicação oficial, mas a principal suspeita é de que a culpa foi de uma falha no DNS —Domain Name System, ou Sistema de Nomes de Domínios. É um protocolo que relaciona o endereço "nominal" de um site ou aplicativo com o seu endereço real (número de IP, de Internet Protocol) nos bancos de dados da internet.

Funciona assim: quando você digita, por exemplo, www.uol.com.br, servidores DNS entram em operação e "traduzem" o endereço que você digitou para o IP 200.221.2.45 (relativo ao UOL) e permitem o acesso.

Quando ocorre uma falha em um desses servidores, o endereço IP fica fora de alcance.

Até mesmo os funcionários da empresa ficaram sem acesso às ferramentas internas usadas para configurar o sistema e corrigir o problema. É isso que pareceu prolongar a correção da falha nas empresas do Facebook —quando erros assim ocorrem, as empresas costumam voltar à configuração anterior, mas isso não parece ter sido possível de fazer rapidamente.

Sheera Frenkel, repórter do jornal norte-americano The New York Times, confirmou a situação caótica na empresa: "Acabei de falar ao telefone com alguém que trabalha para o FB que descreveu funcionários sem conseguir entrar nos prédios esta manhã para avaliar a extensão da pane porque seus crachás não funcionavam para abrir as portas".

Quedas não são incomuns nas redes sociais, mas é raro ver um blecaute com tantos aplicativos interconectados fora do ar simultaneamente.

"Estamos cientes de que algumas pessoas estão tendo problemas para acessar nossos aplicativos e produtos. Estamos trabalhando para voltar ao normal o mais rápido possível e pedimos desculpas por qualquer inconveniente", limitou-se a dizer o Facebook, que caminhava nos últimos dias para um outro patamar de integração técnica entre os aplicativos da "família".

Brian Krebs, jornalista especialista em segurança digital, resumiu o cenário neste tweet:

"Confirmado: os registros DNS que informam aos sistemas como encontrar http://Facebook.com ou http://Instagram.com foram retirados esta manhã das tabelas de roteamento global. Você consegue se imaginar trabalhando no FB agora, quando seu email não funciona mais e todas as suas ferramentas internas baseadas no FB falham?"


Se é mesmo um problema de DNS, o que causou essa falha?

Ninguém sabe ainda. Pode ter sido uma atualização nos sistemas que causou um efeito inesperado. Há relatos em fóruns de especialistas em tecnologia que apontam que uma simples mudança mal calculada possa ter causado todo esse caos.

Dane Knecht, vice-presidente da empresa de servidores Cloudflare, disse em seu perfil no Twitter que a queda global do Facebook teria a ver com DNS e que "as rotas BGP" da empresa "foram retiradas da internet".

BGP significa Border Gateway Protocol (Protocolo de Portão de Fronteira, em tradução livre). Trata-se do sistema que decide por qual rota os seus dados vão trafegar até chegar ao destino escolhido.

É como se fosse o Waze: quando você digita www.uol.com.br na barra de endereços do navegador e aperta Enter (ou abre o WhatsApp no celular), o BGP é o protocolo que avalia os possíveis caminhos que você pode tomar para chegar ao servidor desejado.

Se o BGP sai do ar, como parece ser o caso do Facebook nesta segunda, a plataforma fica "sem direção" e não consegue mais encontrar o caminho entre o usuário e o serviço que ele quer acessar.

Não pode ter sido um ataque hacker?

Pouco provável. Os servidores do Facebook são muito bem protegidos e, até agora, nenhum grupo hacker assumiu um ataque ou mostrou provas de algo parecido.

Que outros apps eu posso usar?

Estas são as principais opções alternativas de aplicativo de mensagem.

O maior concorrente do WhatsApp não poderia ficar de fora nessa lista. O Telegram possui algumas funções exclusivas, como compartilhamento de tela e vídeo-chamadas em grupo com transmissão, além dos seus famosos canais.

O Signal tem código aberto, ou seja, permite que o sistema de segurança seja testado por auditorias externas e independentes —algo elogiado por especialistas. Além disto, é totalmente criptografado. A empresa é uma organização sem fins lucrativos que não coleta nenhum dado de seu usuário. O funcionamento do app é mantido por doações.

Vejam mais opções aqui.

Estou com problemas no Telegram, Gmail, Nubank e vários apps... É o bug do milênio?

Não há indícios de que o mesmo problema que causou a queda do Facebook tenha afetado outros apps. O que pode acontecer é de mais pessoas usando plataformas alternativas de comunicação e causando alguma instabilidade ou lentidão.

Há o caso também de apps que dependem do login com o Facebook para continuar —como o jogo "Pokémon Go"— que podem sentir algum impacto.