PUBLICIDADE
Topo

Após críticas, Xiaomi diz que celular com câmera oculta não é para selfies

Câmera sob a tela do Xiaomi Mi Mix 4 - Divulgação/Xiaomi
Câmera sob a tela do Xiaomi Mi Mix 4 Imagem: Divulgação/Xiaomi

Lucas Carvalho

De Tilt, em São Paulo

14/08/2021 11h52

Nesta semana, a Xiaomi bateu a concorrente Samsung por um dia e anunciou o Mi Mix 4 como um dos primeiros celulares do mundo com a tecnologia de câmera oculta. Em vez de ficar num furo ou numa "franja", o sensor frontal fica sob a tela, quase invisível quando não está em uso.

O problema é que pessoas que já testaram a tal câmera oculta do Mi Mix 4 detestaram o resultado, citando baixa resolução e imagens borradas. A Xiaomi resolveu responder às críticas numa rede social: o vice-presidente da empresa, William Lu, afirmou que o aparelho não é feito para tirar selfies.

"Se você se preocupa com o resultado das suas selfies, recomendo que você compre um celular com tela perfurada", escreveu Lu em seu perfil no Weibo, rede social popular na China. "Se você não é tão exigente com as suas selfies e deseja uma experiência de tela cheia, o Mi Mix 4 é para você."

selfies - Toutiao - Toutiao
Selfie tirada com Mi Mix 4 (à esq.) e com Mi 11 Pro (à dir.), ambos celulares da Xiaomi
Imagem: Toutiao

A tecnologia de câmeras sob a tela estreou no início do ano com um outro celular chinês, o ZTE Axon 20 5G. Além do Mi Mix 4, o recém-anunciado Galaxy Z Fold 3, dobrável feito pela Samsung, também usa um sensor oculto em uma de suas câmeras.

Em cada caso, a implementação é um pouco diferente, mas são sempre variações de um mesmo princípio: na área da câmera frontal, a tela do telefone é produzida com menos pixels. É no espaço entre cada pixel que a luz pode passar e atingir o sensor da câmera.

Depois que a foto é tirada, o processador do celular faz o trabalho de limpar as sombras e borrões dos pixels que ficaram na frente da lente, geralmente usando inteligência artificial. Mas além da Xiaomi, a Samsung também alerta que essa câmera não tem a mesma qualidade das outras no aparelho.

No caso da Samsung, a câmera sob a tela fica no painel interno do celular dobrável e tem apenas 4 MP de resolução. O usuário ainda pode usar as câmeras traseiras ou a lente que fica num furo na tela exterior do Z Fold 3 para tirar selfies com melhor qualidade.

Já o Mi Mix 4, da Xiaomi, não tem tantas opções. A câmera frontal sob a tela tem 20 MP e uma das três lentes traseiras chega a 108 MP. O problema é que com este celular é mais difícil fazer selfies com o conjunto traseiro sem poder enxergar o enquadramento que a foto vai ter.

No lançamento do Mi Mix 4, a Xiaomi afirmou que foram necessários "cinco anos, 60 patentes, um investimento de US$ 77 milhões e centenas de engenheiros" para tornar a câmera sob a tela possível, segundo informações do site "The Verge". No Weibo, o vice-presidente da empresa também afirmou que a sua implementação da tecnologia "é a melhor do mercado, basta comparar".

Nenhum dos celulares ainda foi anunciado oficialmente para o mercado brasileiro, nem têm previsão de lançamento por aqui.