PUBLICIDADE
Topo

Uber libera recurso para motorista mulher só receber chamadas de usuárias

Getty Images/iStockphoto
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Renata Baptista

De Tilt, em São Paulo

08/12/2020 13h09

A partir desta terça-feira (8), a Uber disponibiliza para todo o Brasil uma nova ferramenta, chamada U-Elas, que permite a suas motoristas mulheres e de identidade não-binária receberem apenas chamadas de passageiras.

Algumas usuárias já estão recebendo o comunicado por email da empresa, afirmando que as suas informações de gênero devem ser informadas para o uso da nova iniciativa.

A ferramenta U-Elas pode ser ligada a qualquer momento pelas motoristas e está entre as novidades anunciadas pela Uber para o programa Elas na Direção, criado em parceria com a Rede Mulher Empreendedora no fim de 2019.

Campinas, Curitiba e Fortaleza já estavam na fase experimental do U-Elas há mais de um ano. De lá para cá, outros municípios ganharam a funcionalidade, que agora se estendeu a todo o país.

Neste primeiro momento, a ideia é que as motoristas tenham a opção de receber as chamadas das passageiras, mas no futuro as usuárias também poderão escolher motoristas mulheres ou de identidade não-binária.

Espera-se que a iniciativa ajude a reduzir casos de violência de gênero que ocorreram no Uber nos últimos tempos. Para muitas motoristas mulheres, assédio, intimidação e tentativas de estupro por parte de passageiros são situações que ameaçaram suas vidas.

O inverso também acontece, com motoristas agredindo passageiros LGBT. Há um ano, um motorista do app se recusou a levar uma transexual de 28 anos e foi expulso do serviço. Também em 2019, o youtuber Spartakus Santiago publicou um vídeo onde foi ofendido por um motorista, que o chamou de "viado". Em fevereiro deste ano, outro motorista do Distrito Federal expulsou duas mulheres trans de seu carro.

"Entendemos que esse é um primeiro passo para que, no futuro, tenhamos um número suficiente de mulheres dirigindo para também oferecer essa opção para usuárias mulheres com a mesma eficiência", afirma Claudia Woods, diretora geral da Uber no Brasil, em comunicado.

No email enviado às usuárias, a Uber destaca que, além da nova ferramenta, o "compromisso com o empoderamento e a segurança das mulheres inclui outras iniciativas", como conteúdos educativos e código de conduta que reforça tolerância zero a qualquer tipo de violência e assédio sexual.