PUBLICIDADE

Topo

Motorista da Uber é acusado de transfobia por expulsar passageiras do carro

Motorista da Uber é acusado de transfobia após recusar corrida no Distrito Federal - Reprodução/Twitter
Motorista da Uber é acusado de transfobia após recusar corrida no Distrito Federal Imagem: Reprodução/Twitter

Nathalia Zôrzo

Colaboração para Universa, em Brasília

06/02/2020 17h47

A Polícia Civil do Distrito Federal investiga um motorista de aplicativo acusado de transfobia contra duas mulheres transexuais. As vítimas, uma de 20 e outra de 25 anos, pediram o Uber hoje por volta de 12h, na Asa Sul, no centro de Brasília, e assim que entraram no carro o condutor mandou as duas descerem.

Sem entender, elas perguntaram o motivo e o homem respondeu que tinha acabado de cancelar a corrida e que ia buscar outra pessoa, mas as passageiras se recusaram a sair.

Um vídeo gravado por elas e que circula nas redes sociais mostra o momento em que o motorista desce do carro, abre a porta do banco de trás e insiste que elas saiam. As duas informam que vão chamar a polícia e, alguns segundos depois, o homem derruba o celular no chão. Uma das vítimas, Melissa de Menezes Souza, contou ao UOL que o motorista xingou as duas de forma preconceituosa e disse que não iria levá-las porque não queria.

"Eu falei que ia chamar a polícia, aí ele veio e pegou meu celular, jogou no chão e já partiu para a agressão, querendo me tirar do carro, me agredindo, me enforcando. E durante a ação ele ficava falando que a gente era merda, bosta, viada. A gente ficou muito triste, humilhada, desamparada", conta Melissa.

As mulheres acabaram saindo do carro e o motorista fugiu. Elas registraram denúncia na Delegacia de Repressão aos Crimes por Discriminação Racial, Religiosa ou Por Orientação Sexual (DECRIN), que investiga o caso como lesão corporal e injúria preconceituosa por sexo e gênero. As vítimas foram encaminhadas ao Instituto Médico Legal (IML). O motorista ainda não foi localizado.

A Comissão de Direitos Humanos da Câmara Legislativa do Distrito Federal informou que vai acompanhar a investigação.

Em nota, a Uber informou que não tolera qualquer forma de discriminação em viagens realizadas em sua plataforma e que assim que recebeu a denúncia suspendeu o motorista do aplicativo. A empresa também ressaltou que está à disposição para colaborar com as investigações.

Violência contra a mulher