PUBLICIDADE
Topo

Selo Covid-free? Hospital vai certificar comércio que respeitar as regras

Selo CovidAudit, criado pelo hospital Albert Einstein, será usado nas portas de lojas - Divulgação
Selo CovidAudit, criado pelo hospital Albert Einstein, será usado nas portas de lojas Imagem: Divulgação

Marcella Duarte

Colaboração para Tilt

11/07/2020 04h01

Sem tempo, irmão

  • CovidAudit quer tornar areabertura do comércio mais segura
  • Auditores vão avaliar se local está seguindo as regras à risca
  • Selo tem validade de 15 dias e comércio é avaliado a cada duas semanas
  • Empresários esperam que selo passe confiança aos que estão há muito tempo isolados

A CovidAudit, certificação criada pelo Hospital Israelita Albert Einstein, é uma iniciativa para informar a situação de segurança do comércio físico. A unidade de saúde, que fica em São Paulo, quer classificar as lojas de todo o país que cumprirem as normas de higiene e prevenção definidas na pandemia de covid-19.

Muitos especialistas não recomendam a reabertura do comércio por conta das atuais taxas de transmissão e do número de casos de covid no Brasil. Mas com a reabertura gradual e a flexibilização do isolamento social em muitas cidades brasileiras, certos protocolos de saúde ajudam a reduzir as chances de contágio pelo vírus.

Será dado um selo para ser divulgado e exposto na entrada da loja, para informar ao consumidor que o lugar segue boas práticas de prevenção, como:

  • Disponibilização de equipamentos de proteção individual (funcionário de máscaras, álcool em gel para clientes);
  • Atitudes preventivas (lavagem das mãos, distância entre as pessoas);
  • Mudanças de estrutura (nos provadores de lojas de roupas ou nas mesas em restaurantes, por exemplo).

A iniciativa é realizada em parceria com a OnYou, empresa de auditoria que usa como metodologia o "cliente oculto", que é um auditor no estabelecimento se passando por um consumidor comum, para vivenciar de maneira espontânea o serviço e a experiência do cliente.

Após consumir (comer ou comprar um produto), o auditor se apresenta e faz perguntas sobre o funcionamento do comércio e pede para checar os bastidores do trabalho, como estoque e recebimento de produtos. No final, ele faz um relatório da visita, que é analisado pela OnYou e pelo Einstein.

O Einstein analisa as atitudes em relação aos funcionários e consumidores. "Por exemplo, não adianta todos os vendedores estarem protegidos, mas deixarem um cliente entrar sem máscara. A loja também precisa exigir que os consumidores cumpram as normas em suas dependências", diz Anarita Buffe, diretora de consultoria e projetos do Einstein.

O selo CovidAudit é válido por 15 dias. Uma nova visita é feita a cada duas semanas para verificar se o comércio continua seguindo os protocolos de prevenção contra o novo coronavírus.

"O foco agora é lavar as mãos"

O projeto foi testado na última semana em redes varejistas, como Spoleto (fast food de massas), L'Occitane (produtos de higiene e beleza) e Aramis (vestuário masculino), em algumas capitais do país. Agora, com alguns ajustes feitos, a iniciativa vai se expandir para qualquer estabelecimento que queira contratar o serviço.

Daniel Milaré, diretor de varejo da L'Occitane, conta que as adequações são um grande desafio. "Passamos a vida inteira treinando nosso time para proporcionar uma visita sensorial, de encantamento, para o cliente. Agora, não pode experimentar nada, no máximo um spray de uma fragrância ou um sabonete ou esfoliante. O foco agora é lavar as mãos", explica.

Segundo ele, o desafio maior é manter o distanciamento social adequado dentro das lojas, que costumam ser pequenas. "Nossa orientação para os funcionários é sempre dar um passo para trás quando se comunicar com um cliente", diz Milaré, que acredita que o selo vai passar mais confiança aos consumidores, principalmente os que estão em isolamento há muito tempo.