PUBLICIDADE
Topo

Sleeping Giants muda alvo, e 2º site de fake news também perde anúncios

Página principal do perfil do Twitter Sleeping Giants Brasil - Reprodução/Twitter @slpng_giants_pt
Página principal do perfil do Twitter Sleeping Giants Brasil Imagem: Reprodução/Twitter @slpng_giants_pt

Helton Simões Gomes

De Tilt, em São Paulo

05/06/2020 15h42

Após semanas de assumir uma batalha contra a desinformação online, alertando empresas que anunciavam em um site que espalha fake news, o perfil de Twitter Sleeping Giants Brasil obteve algo que seus criadores chamaram de "vitória parcial". O Jornal da Cidade Online (JCO), alvo inicial da conta, desativou sua adesão à plataforma de publicidade programática do Google, que injetava dinheiro na página.

Com isso, a conta mudou o foco e passou a mirar outro site notório por espalhar notícias e teorias falsas, o Conexão Política. Menos de 24 horas após o início da nova investida, o site retirou sua ferramenta de publicidade.

Em meio a isso, o Sleeping Giants também pressiona outros serviços que remuneram esses sites, como plataformas de financiamento coletivo e de streaming de vídeo, como YouTube e Twitch.

O novo alvo

A guinada na atuação do perfil veio na segunda-feira (1º), quando constatou que o JCO deixou de veicular anúncios distribuídos pelo Google por meio do serviço Adsense. Nesta plataforma, marcas escolhem o tipo de público que desejam atingir na internet com seus anúncios. A partir daí, a ferramenta distribui as propagandas em sites que o algoritmo julga ter propostas parecidas com a do anunciante.

As empresas recebem relatórios com os sites que receberam anúncios e até podem escolher páginas ou segmentos de páginas específicos em que suas propagandas não devem figurar. Ainda assim, muitas delas se mostraram surpresas após o Sleeping Giant Brasil mostrar que financiam com verba publicitária o Jornal da Cidade Online, uma página já foi condenada por espalhar fake news.

Boa noite pessoal, recebemos várias mensagens diretas de seguidores afirmando que o primeiro site alvo do movimento está sem anúncios, ou seja, optou hoje por retirar o adsense da página. Não sabemos o motivo, provavelmente estamos atrapalhando alguma coisa!
Sleeping Giants Brasil

A Tilt, os criadores do perfil preferiram amenizar a simbologia do fato.

Não há mais anúncios. É uma vitória meio parcial. A retirada do Adsense não foi mérito nosso e, sim, descrédito deles

Durante dois dias, o perfil enfrentou um período incerto. Passou a compartilhar textos de agências de checagem de fatos e posts de outros usuários contestando sites de financiamento coletivo —ou "vaquinha online"— que repassaram dinheiro a grupos de apoio ao presidente Jair Bolsonaro.

A partir da quarta-feira (3), escolheu seu novo alvo: o Conexão Política, que nasceu como perfil no Twitter, mas virou uma página na internet de disseminação de conteúdo recheado de fake news.

O anúncio da mudança de rota foi feito com certa produção. O Sleeping Giants Brasil publicou um vídeo em que surgia a imagem do site JCO, seguida de uma tela de TV indicando que a programação fora tirada do ar. Na sequência, emergia a página do Conexão Política.

Os criadores do Sleeping Giants Brasil já haviam informado a Tilt que tem uma lista de pouco mais de 100 sites que espalham fake news e são alvos em potencial.

O novo alvo, porém, não resistiu muito. Pouco mais de 24 horas depois do início da exposição de marcas que anunciavam nele, o Conexão Política abriu mão do Adsense.

Neste meio tempo, algumas das empresas que se comprometeram a evitar direcionar verba publicitária para o site foram Telecine, SanarFlix, Sky, Toroinvest, Catho, Acer, LinkedIn e Neon. Até o escritor Eduardo Moreira, autor dos bestsellers "Desigualdade" e "O que os donos do poder não querem que você saiba", retirou anúncios do site.

Com o segundo round chegado ao fim, o perfil passou a cobrar o Google porque o canal do YouTube Xbox Mil Grau propaga discursos racistas. Nos últimos dias, os youtubers responsáveis por ele foram alvo de uma campanha de repúdio online que levou outras plataformas a suspenderem sua conta.

Nesta sexta-feira (5), o YouTube informou que os vídeos ofensivos do Xbox Mil Grau foram retirados, e o canal deixou de fazer parte do programa que destina verba publicitária a criadores.