Topo

Uma nova era? Facebook é mais um que vai tirar contagem de curtidas

Tendência de esconder números começou no Instagram e YouTube, e agora chega ao Facebook - Arte/UOL
Tendência de esconder números começou no Instagram e YouTube, e agora chega ao Facebook Imagem: Arte/UOL

Fabricio Calado

Colaboração para Tilt

03/09/2019 13h10

Assim como fez com o Instagram, o Facebook planeja ocultar o número de curtidas de um post. A ideia seria impedir a "guerra de likes" causada pelo desejo de turbinar curtidas e compartilhamentos de determinas postagens, e evitar que posts sejam tirados do ar por terem pouco engajamento.

A medida foi descoberta por Jane Manchun Wong, desenvolvedora que costuma vazar funções de sites e apps em teste, e está em teste em sete países, incluindo Canadá e Brasil. Wong, por sinal, foi quem revelou primeiro que o Instagram planejava sumir com as curtidas de posts.

A informação foi confirmada pelo Facebook ao portal "Techcrunch". Procurada pelo Tilt, a assessoria do Facebook no Brasil não confirmou a medida, mas fontes ligadas à empresa dizem que os testes estão em andamento no Brasil.

Como foi no Instagram e Youtube

Desde julho deste ano, não é mais possível ver o número de curtidas nos posts do Instagram no Brasil. Só quem pode ver o total de curtidas de uma postagem é seu autor. A rede social alegou que queria proteger a saúde mental dos usuários.

À época do anúncio da medida, especialistas e profissionais de área ouvidos pelo UOL disseram que uma das principais consequências da mudança poderia ser mais lucro para o Instagram com publicidade nos Stories e impulsionamento de conteúdo na linha do tempo.

"Quem é administrador de página percebe uma queda gradativa no alcance orgânico das publicações. Hoje quando você faz uma publicação e você tem 100 mil seguidores, mas você não consegue mais falar com os 100 mil seguidores. É todo um movimento que a plataforma faz para que você precise investir em conteúdo patrocinado", disse Willian Rocha, professor de redes sociais da ESPM Rio.

Isabela Ventura, executiva-chefe da empresa especializada em marketing de influência Squid, disse ainda que a medida enfraqueceria o "mercado de likes e seguidores", e poderia até melhorar o nível do conteúdo na plataforma. "Esperamos que essa mudança faça com que eles (influenciadores e empresas que os contratam) entendam que o número de likes diz pouco sobre um perfil", diz a CEO da Squid.

Neste mês, o Google vai deixar de exibir o número exato de inscritos dos canais no YouTube. O serviço vai mostrar números abreviados dos números de pessoas que se inscreveram em cada canal. Apenas os canais com menos de mil inscritos não serão afetados pela mudança.

"Esperamos que isso ajude todos os criadores a se concentrarem em contar a sua história e enfrentarem menos pressão sobre os números", comunicou o anúncio do YouTube, na semana passada. Mas é provável que isso também impacte o hoje valioso mercado de youtubers, no qual os números importam bastante.

SIGA TILT NAS REDES SOCIAIS

Mais Redes sociais