Topo

Conta de CEO do Twitter é invadida e posta tuítes racistas e antissemitas

Jack Dorsey, CEO e cofundador do Twitter, teve sua conta invadida - Divulgação
Jack Dorsey, CEO e cofundador do Twitter, teve sua conta invadida Imagem: Divulgação

Rodrigo Trindade

De Tilt, em São Paulo

30/08/2019 17h14

Sem tempo, irmão

  • Invasores compartilharam uma série de mensagens ofensivas na conta de Jack Dorsey
  • Twitter confirmou que conta foi "comprometida" e que investiga o caso
  • Mensagens foram rapidamente apagadas da página do executivo e cofundador da empresa

Mensagens de conteúdo racista, antissemita e em defesa do nazismo foram publicadas nesta sexta-feira (30) na conta do Twitter de Jack Dorsey, cofundador e executivo-chefe da rede social. Por volta das 17h (de Brasília), uma série de tuítes e retuítes de teor ofensivo surgiram na conta do executivo, mas logo foram deletadas.

A comunicação do Twitter logo respondeu que a empresa "está ciente que a [conta] @jack foi comprometida" e que o incidente está sendo investigado. Cerca de uma hora depois, a empresa informou o controle do usuário foi retomado e que "não há sinais que os sistemas do Twitter foram comprometidos", mas não explicou como a conta de Dorsey foi hackeada.

As publicações compartilhadas pela conta oficial do executivo diziam que "Hitler foi inocente" e que "Alemanha nazista não fez nada de errado", além de usar uma termo considerado racista em inglês e instigar violência contra judeus.

Colagem mostra série de mensagens compartilhadas pelo chefão do Twitter - Reprodução
Colagem mostra série de mensagens compartilhadas pelo chefão do Twitter
Imagem: Reprodução

Durante o ataque, a conta de Dorsey sugeria que um perfil aparentemente usado pelos hackers fosse seguido. O grupo autor da invasão se autointitulava Chuckle Gang e é o mesmo que já havia invadido na semana passada os perfis de diversos influenciadores, como James Charles, Shane Dawson e King Bach.

Assim como Facebook e YouTube, o Twitter tem recebido críticas de como lida com conteúdo que se enquadra como "discurso de ódio", classificação que se aplica ao conteúdo do que foi publicado na conta de Dorsey, que tem mais de 4 milhões de seguidores.

Foi a segunda vez que o executivo teve seu perfil hackeado, mas na outra, feita em 2016 pelo grupo OurMine, resultou na postagem de mensagens sobre vulnerabilidades de segurança da rede social. Na ocasião, Mark Zuckerberg teve seu Facebook invadido pelo mesmo grupo, pelo mesmo motivo.

Ironicamente, a mensagem que está fixada no topo do perfil de Dorsey é completamente oposta àquelas que os invasores postaram na conta do executivo: "Estamos nos comprometendo a ajudar a melhorar a saúde coletiva, a abertura e a civilidade dos debates públicos, e a nos responsabilizar publicamente no caminho ao progresso".

Ainda não se sabe como os invasores acessaram a conta do chefão da rede social, mas se você quer se proteger minimamente de um cenário semelhante, aqui vai uma sugestão: ative a autenticação em dois fatores.

SIGA TILT NAS REDES SOCIAIS

Mais Redes sociais