PUBLICIDADE
Topo

Akin Abaz

Idosos precisam ter acesso à tecnologia; você está fazendo a sua parte?

Anna Shvets/ Pexels
Imagem: Anna Shvets/ Pexels
Akin Abaz

Akin Bakari D'Angelo dos Santos é fundador da InfoPreta e homem trans. Um curioso nato e um amante do desconhecido, sempre se interessou por montar, desmontar e entender o funcionamento dos eletrônicos. Fez cursos técnicos na adolescência e, aos 15 anos, já atuava na área da indústria com manutenção eletrônica de maquinário pesado. Em 2011, começou a consertar computadores em seu quarto e dois anos depois fundou a InfoPreta, empresa de serviços de manutenção que tem por objetivo inserir pessoas negras, LGBTQI+ e mulheres no mercado tech, aliando lucros a projetos sociais de grande impacto.

Colunista do UOL

28/01/2021 04h00

Esses dias, conversando com alguns clientes, me questionaram sobre como as pessoas da terceira idade conseguem lidar com esse boom de informações e, principalmente, a questão da acessibilidade à tecnologia.

Atualmente os celulares parecem fazer parte das pessoas, ficam mais próximos que a própria carteira e nos mantêm cada vez mais conectados. Mas como gerações anteriores à nossa lidam com essa nova opção de grude que a gente tanto utiliza?

Nos últimos anos, o número de pessoas com 60 anos ou mais que utilizam a internet deu um salto. De acordo com a pesquisa TIC Domicílios, 58% dos idosos acessam a internet através de smartphones e 9% usam apenas o computador para navegar pela rede.

Mesmo com o aumento, dos idosos que não utilizam a internet, 72% afirmam que o motivo é a falta de habilidade com eletrônicos.

Estava observando mainha algumas vezes e notei como para ela parece difícil o uso do celular e a interação on-line com as pessoas. Ela sempre me pede para ensinar algo e dias depois esquece como funciona.

Percebo que enquanto passamos 24 horas por dia no celular, quase sempre esquecemos de lidar com quem tem mais dificuldade em utilizar equipamentos eletrônicos.

Vivemos em um mundo cada vez mais tecnológico, então, como incluir pessoas da terceira idade? Como os idosos se adaptam em meio a velocidade que o mundo corre e nos atropela?

Se eu, parte de uma geração tão tecnológica, fico confuso e perdido em meio a tantas mudanças, o que será que acontece com pessoas mais experientes?

A inclusão digital precisa se dirigir às pessoas mais velhas também, principalmente no momento atual, quando o isolamento social faz necessário o encontro através de telas.

A tecnologia é um dos caminhos para o conhecimento, entretenimento e transformação.

O conhecimento tecnológico pode acontecer através de cursos, projetos sociais, oficinas, etc. Mas todo mundo que entende um pouco do assunto pode fazer sua parte se comprometendo a tirar dúvida de pais, tios, avós ou vizinhos.

Para além das infinitas possibilidades com o uso de equipamentos eletrônicos, aprender coisas novas a qualquer idade exercita a mente, a memória e aumenta a autoestima, promovendo saúde e bem-estar.