Como 'Som da Liberdade' quer se tornar um 'tratado contra escravidão'?

"Som da Liberdade" chegou aos cinemas na última quinta-feira (21) e, distribuído pelo Angel Studios, se tornou um sucesso de bilheterias. Nos Estados Unidos, o título superou a estimava e abocanhou mundialmente US$ 210 milhões (cerca de R$ 1,2 bilhão), um marco para uma produção de baixo orçamento — US$ 14,5 milhões (cerca de R$ 70 milhões).

Comprar ingresso

Nossas expectativas eram pequenas. Depois, chegamos a US$ 50 milhões de bilheteria, então US$ 100 milhões, US$ 150 milhões, US$ 200 milhões... Eu me pergunto até onde chegaremos.
Jeffrey Horman, co-fundador da Angel Studios, em entrevista a Splash

Dirigido e escrito por Alejandro Monteverde, de "Little Boy - Além do Impossível", o longa conta a história real de Tim Ballard, um ex-agente especial do Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos.

Após prender um pedófilo responsável por uma rede de tráfico de crianças, o policial resolve renunciar seu trabalho oficial e se envolve em uma longa caçada para salvar a vida de crianças.

Mesmo com números impressionantes, Horman diz que a intenção não é financeira, mas sim tornar "Som da Liberdade" uma espécie de "tratado" contra a escravidão moderna.

"Nosso objetivo de verdade nos remete aos anos 1800", contou.

Houve uma escritora chamada Harriet Beecher Stowe que escreveu um livro chamado 'A Cabana do Pai Tomás', que se tornou a obra mais vendida daquele período, perdendo apenas para a Bíblia.
Jeffrey Horman

Horman explica que, quando o Presidente dos Estados Unidos Abraham Lincoln conheceu Stowe, ele teria a creditado como a responsável por começar o movimento abolicionista norte-americano.

Continua após a publicidade

"A Cabana do Pai Tomás" conta a história de uma pessoa humilde, em situação de escravidão humilde e religioso cuja vida sob cativeiro mudou drasticamente após ser vendido.

"Esse livro é considerado o responsável pelo fim da antiga escravidão. Nosso objetivo é tornar 'Som da Liberdade' o 'A Cabana do Pai Tomás' deste século, e iniciar o processo de término da prostituição infantil, tráfico de crianças e as diferentes formas que isso atinge em todo o mundo."

Para Jeffrey Horman, como cada país entenderá o longa será "a chama" para o início da mudança. "Meu objetivo de verdade é conseguir acabar com o tráfico infantil", conclui.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes