PUBLICIDADE
Topo

Marcelle Carvalho

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

'Salve-se Quem Puder' foi um oásis no meio de tanta reprise

Elenco se despede de "Salve-Se Quem Puder" após final da novela das 19h - Reprodução/Instagram
Elenco se despede de 'Salve-Se Quem Puder' após final da novela das 19h Imagem: Reprodução/Instagram
Conteúdo exclusivo para assinantes
Marcelle Carvalho

Marcelle Carvalho é jornalista que cobre, há duas décadas, o universo da televisão. Suas maiores paixões são novelas e séries, que serão abordadas aqui a partir da visão de quem vê e de quem faz.

Colunista do UOL

16/07/2021 22h59

Noveleiro que se preze ficou com os olhos grudados na TV até subirem os créditos do último capítulo de "Salve-se Quem Puder", no ar na noite desta sexta-feira (16). Ainda mais porque o grande mistério da trama seria desvendado: com quem Kyra (Vitória Stdada) e Luna (Juliana Paiva), finalmente, iriam terminar a história. A dúvida das duas protagonistas - Alexia (Deborah Secco) já tinha se decidido por Zezinho (João Baldasserini) - foi mais um golpe certeiro do autor Daniel Ortiz, que conseguiu prender até o fim a nossa atenção.

Ao mesmo tempo, é aí que mora o perigo. Kyra e Luna passaram muito tempo indecisas, mesmo sendo bombardeadas constantemente pelas campanhas dos pretendentes. E, assim, como se despertassem de um transe, descobrem que deveriam ficar com Rafael (Bruno Ferrari) e Téo (Felipe Simas), respectivamente, ao invés de Alan (Thiago Fragoso) e Alejandro (Rodrigo Simas). Coisas de novela que deixa tudo para ser resolvido no capítulo derradeiro... Apesar da estranheza, isso não manchou o final da história.

Na verdade, o que ficou um pouco difícil de embarcar foi na paixão do advogado e do músico por Júlia (Sophia Abrahão) e Bel (Dandara Mariana), apenas dois meses depois de terem sido preteridos por Kyra e Luna . É que o autor construiu tão bem o amor deles pela decoradora e a mexicana, que não deu para acreditar que os moços tinham esquecido das duas tão rapidamente. Enfim, toquemos o barco.

No mais, "Salve-se quem puder" foi um oásis no meio de tanta reprise. E, além da história leve, às vezes escorregando um pouco para o infantil, o fato de ter capítulos inéditos - estamos órfãos disso - fez com que nos apegássemos mais ainda à trama. E foi louvável todo o esforço da equipe em reproduzir uma Cancún para emocionar ainda mais o desfecho das três amigas, já que foi nesta cidade do Caribe onde tudo começou.

Aliás, a emoção ficou à flor da pele nas redes sociais, minha gente! Enquanto as torcidas de Luteo (Luna + Téo) e Kyrael (Kyra + Rafael) soltaram fogos, as de Alyra (Alan + Kyra) e Lujandro (Luna + Alejandro) destilaram toda raiva com o final. Noveleiro raiz é passional, não tem jeito.

Ah, e levanta a mão quem não ficou com o coração apertado ao ver aquele furacão se formando novamente sobre as cabeças das meninas? Bela sacada de Ortiz para marcar o fim de uma trama que passou por todos os reveses possíveis, por conta da pandemia, e conseguiu chegar bravamente ao fim.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL