PUBLICIDADE
Topo

Luciana Bugni

Tarcísioeglória: casal mais importante da TV é um só antes do ship

Em "A Favorita": brilhando juntos na tela desde sempre - Frederico Rozario
Em "A Favorita": brilhando juntos na tela desde sempre Imagem: Frederico Rozario
Conteúdo exclusivo para assinantes
Luciana Bugni

Luciana Bugni é gerente de conteúdo digital dos canais de lifestyle da Discovery. Jornalista, já trabalhou na "Revista AnaMaria", no "Diário do Grande ABC", no "Agora São Paulo", na "Contigo!" e em "Universa", aqui no UOL. Mora também no Instagram: @lubugni

Colunista do UOL

12/08/2021 11h33

Tarcísioeglória. A expressão vem antes de existir o tal shippar. Tarcísio e Glória, dois indivíduos. Duas almas brilhantes. Dois profissionais finos e educados. Talentosos em dupla, em jogos cênicos de tirar o fôlego. Talentosos individualmente em cenas que ficam para sempre na memória.

Como podem ser um só também? Tarcísioeglória na tela da TV. Tarcísioeglória naquela foto chiquérrima de cinco décadas atrás. Tarcísioeglória sempre que a gente pensa em televisão, em arte, em Brasil.

Como é que a gente sobrevive agora a Glória sem Tarcísio?

A notícia da morte de um homem famoso como Tarcísio Meira, geralmente comove todo mundo. Mortes por Covid trazem lágrimas a mais. A doença poderia ser refreada, se na hora do contágio, todo mundo já estivesse vacinado. É tarde.

O casal mais importante da televisão brasileira desfeito, em alas separadas de um mesmo hospital, devastados pela mesma doença, apesar de vacinados. Uma união de 59 anos. Um tanto a mais de carreira.

Em São Paulo, todos os maiores de 18 anos estarão vacinados com a primeira dose até o início da semana que vem. Tarcísio Meira não verá isso. Glória não verá mais Tarcísio. Nós teremos ainda Tarcísioeglória, como exemplo de amor eterno, de talento contagioso, de conforto de entretenimento em reprises em tempos como hoje, em que a vida real é penosa demais.

Precisamos da ficção para aliviar as dores duras demais da realidade. Para isso, sempre teremos Tarcísioeglória ao alcance de um clique.

Tento sorrir pensando que amores assim são eternos ou qualquer outra frase feita. Mas não é possível repetir nenhuma expressão gasta.

Em dias como hoje, as palavras ficam pela metade, como Glória sem Tarcísio.

A gente pode falar mais disso no Instagram.