PUBLICIDADE
Topo

Viajante conta como fez o Caminho de Santiago de Compostela três vezes

Andréa Prestes no Caminho de Santiago de Compostela - Arquivo pessoal
Andréa Prestes no Caminho de Santiago de Compostela Imagem: Arquivo pessoal

Priscila Carvalho

Colaboração para Nossa

20/04/2022 04h00

Desde o século 9, o Caminho de Santiago de Compostela atrai peregrinos e viajantes que desejam caminhar pelos mais de 800 quilômetros de extensão. Situado no norte da Espanha, o local mistura fé com paisagens de tirar o fôlego ao longo das diferentes rotas.

E foi justamente pela beleza do lugar que a fotógrafa e jornalista Andréa Prestes, 45, decidiu explorar o território espanhol sozinha. Amante das caminhadas, foi em Compostela que iniciou as viagens internacionais caminhando. Ela gostou tanto da prática, que realizou a peregrinação três vezes, por vários trajetos.

A primeira vez: experiência única

Em 2014, Andréa fez o caminho um pouco despreparada e sem saber como seria a caminhada até o destino final. Iniciou pela rota francesa, entre subidas e descidas e foi lá que conheceu peregrinos do mundo todo, que estavam indo em direção à tumba do apóstolo Santiago para pagar promessas ou simplesmente ter uma vivência diferente.

A caminhada exigia muito esforço físico e psicológico e os longos trajetos renderam bolhas em seu pé e inchaço no tornozelo.

Durante todos os 38 dias de trajeto, ela andava, em média, 25 quilômetros. Durante um dia no trajeto, não encontrou lugar para dormir e caminhou 32 quilômetros — chegando ao total de 800 quilômetros de jornada.

A jornalista conta que pôde usufruir do espírito peregrino, se conectando com a natureza e com a parte espiritual, e que, mesmo estando sozinha em boa parte do percurso, ela nunca se sentia desacompanhada.

Os caminhos de Santiago que percorri são bem seguros para mulheres. Mas eu sempre digo que lá também não é um mundo perfeito e que ocorrências já aconteceram, mas no geral é bem tranquilo. Como em qualquer lugar, é bom estar atenta e se cuidar.".

Ao se aproximar da chegada, uma mistura de tristeza e superação rodeavam seu corpo. Um amigo havia dito para ela fechar os olhos em frente à catedral, que a sensação seria única.

"Tive a confirmação de que conhecer lugares caminhando é a melhor maneira de viajar", diz Andrea, que percebeu que a vida poderia ser minimalista e sem muito luxo.

Passeio anual

Andréa Prestes no Caminho de Santiago de Compostela - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Andréa Prestes no Caminho de Santiago de Compostela
Imagem: Arquivo pessoal

A experiência foi tão enriquecedora, que ela retornou ao local em 2016, só que agora pela rota portuguesa. A partir da cidade de Porto, Andrea caminhou 230 quilômetros até Santiago de Compostela, durante 12 dias.

Neste mesmo ano, realizou o Caminho Finisterre-Muxía, que rendeu 120 quilômetros à gaúcha. Já em 2017, fez a rota Caminho do Norte pela Costa, que começa na cidade de Irun, na fronteira com a França. Só neste trajeto, foram 840 quilômetros, durante 46 dias.

Também realizou o caminho Primitivo, que sai de Oviedo (Astúrias) até Santiago de Compostela.

E muito além do esforço físico, a viajante relembra que o que mais chamou atenção durante os caminhos foi o espírito de solidariedade e superação entre os peregrinos — muitos andavam longos quilômetros, mesmo com restrições motoras, levando, muitas vezes, crianças e mochilas pesadas.

Cenas do Caminho de Santiago de Compostela - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Cenas do Caminho de Santiago de Compostela
Imagem: Arquivo pessoal

Caminhadas pelo Brasil

De volta ao Brasil, ela criou o projeto "Caminhos pelo Mundo", no qual compartilha, em suas redes sociais, experiências de viagem a pé por lugares nacionais e internacionais. A partir daí, lançou livros com ajuda de financiamentos coletivos, onde mostrava suas viagens pelos caminhos de Santiago.

Aos poucos, ela foi descobrindo as rotas que não eram tão conhecidas aqui. Fez o Caminho da Fé, que começa na cidade de Águas de Prata (SP), passando por cidades de Minas Gerais e acabando em Aparecida, em São Paulo.

Andréa Prestes durante o Caminho da Fé, que passa por Minas e São Paulo - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Andréa Prestes durante o Caminho da Fé, que passa por Minas e São Paulo
Imagem: Arquivo pessoal

A gaúcha também experimentou, em outubro de 2021, o Vale Europeu, em Santa Catarina. Foram 220 quilômetros. por um trecho que antigamente era feito somente por ciclistas, e, agora, é tomado por caminhantes e mochileiros.

Andrea também explorou a rota conhecida como Caminho dos Faróis, que começa na cidade de Capilha, no Rio Grande do Sul. Durante o trajeto são 190 quilômetros até a Barra do Chuí, que fica na fronteira com o Uruguai. O local é inóspito, ideal para viajantes que procuram se conectar com a natureza.

Em Minas Gerais, foi a vez de realizar a Rota das Capelas e Caminhos da Prece.

Hoje, Andrea conta suas experiências em seu canal do YouTube e em suas redes sociais e promove palestras e rodas de conversa sobre suas caminhadas. Mais informações em seu site: https://www.caminhospelomundo.com.br/