PUBLICIDADE
Topo

Guaraná Jesus no drinque? Aprenda a turbinar a pinga com mel e limão

De Nossa

15/06/2021 04h00

Guaraná Jesus vai em drinque? Quando a proposta é homenagear o Maranhão, a resposta é sim.

O coquetel criado com exclusividade pelo bartender Leandro Santos, mais conhecido como Mussum Alive, é uma espécie de "pml" (mistura de pinga, mel e limão) turbinada com o refrigerante rosa.

A mistura alcoólica, apelidada de Reviver, estrelou o novo quadro de Brasil com Zeca, série de Nossa apresentada por Zeca Camargo, que recebeu como convidada especial a influencer Thaynara OG.

Drinque - Brasil com Zeca - UOL/Nossa - UOL/Nossa
Ensopado de caranguejo faz par com o drinque docinho
Imagem: UOL/Nossa

O desafio proposto por Zeca foi a preparação de um drinque que harmonizasse bem com o ensopado de caranguejo acompanhado de chips de tapioca. O prato foi ensinado no programa por Célia Rossetti, que comanda o buffet Gastronomia Rossetti em São Luís, no Maranhão.

Leandro assumiu ser uma "formiguinha" por açúcar e resolveu exaltar o estado ao colocar no copo o refrigerante típico na região. Com leve sabor de tutti-frutti, ele deixa a pedida ainda mais doce. Quem quiser adaptar o dulçor sem abrir mão do Guaraná Jesus pode diminuir a quantidade de mel da receita.

Confira o passo a passo completo do drinque e do ensopado clicando na imagem abaixo:

Drinque Reviver

Dificuldade Fácil
Ver receita completa

Ensopado de caranguejo com chips de tapioca

Dificuldade Médio
60 min
Ver receita completa

O rosa de Maranhão

O refrigerante foi criado sem querer em 1927 pelo farmacêutico maranhense Jesus Norberto Gomes. Seu objetivo inicial era fazer um remédio, mas a fórmula acabou originando um xarope. O sabor agradou os netos e fez o produto ser vendido como uma bebida.

Guaraná jesus - Reprodução Instagram - Reprodução Instagram
Guaraná jesus: refrigerante criado no Maranhão
Imagem: Reprodução Instagram

Ao contrário do que o nome leva a crer, Jesus era ateu e chegou a ser excomungado da Igreja Católica por uma briga com o padre. O farmacêutico também ganhou fama de comunista já que dava aos funcionários da empresa parte do seu lucro.

Em 1980, a família vendeu a empresa a uma franqueada da Coca-Cola, que em 2001 foi comprada pelo grupo Coca-Cola Brasil. Desde 2008, o refrigerante tem os azulejos coloniais de São Luís estapados na latinha.