PUBLICIDADE
Topo

Gastronomia em Bangcoc vai de comida de rua com reservas a barraca "raiz"

As opções para comer em Bangcoc são tão variadas e coloridas como a culinária tailandesa - Unsplash/Lisheng Chang
As opções para comer em Bangcoc são tão variadas e coloridas como a culinária tailandesa Imagem: Unsplash/Lisheng Chang

Larissa Coldibeli

Colaboração para o UOL

10/02/2020 04h00

A culinária tailandesa é mundialmente reconhecida, não só pela picância, mas pelo frescor dos ingredientes e pela mistura de sabores em pratos que unem doce, salgado, cítrico e amargo.

Apesar da fama internacional, foi só em 2017 que o icônico guia Michelin passou a listar as melhores experiências gastronômicas no país. Ao todo, são 281 restaurantes indicados, dos quais 176 estão na capital, Bangcoc.

Engana-se, porém, quem pensa que o guia reconhece apenas representantes da alta gastronomia, lugares chiques ou caros.

A classificação vai de uma a três estrelas (os melhores), além da categoria Bib Gourmand, que elege os estabelecimentos que servem bons pratos a preços mais em conta. Assim, a lista inclui até barracas de comida rua, muito populares na Tailândia e que fazem a alegria dos mochileiros.

Comida de rua para todos os gostos é uma das marcas de Bangcoc - Gareth Harrison/Unsplash - Gareth Harrison/Unsplash
Comida de rua para todos os gostos é uma das marcas de Bangcoc
Imagem: Gareth Harrison/Unsplash

Os critérios para entrar no guia são os seguintes: qualidade dos ingredientes, domínio do sabor e de técnicas na cozinha, personalidade do chef em sua culinária, se vale quanto custa e consistência entre as visitas dos inspetores Michelin, que são anônimos.

Apesar de já saber do bom-custo-benefício na Tailândia, confesso que visitar restaurantes premiados não era uma prioridade diante do meu orçamento reduzido. Mas, chegar em Bangcoc e ver que, realmente, a comida local é muito barata foi um incentivo para me aventurar na gastronomia - da gourmet à "raiz".

Confira a lista de três experiências culinárias, muito diferentes umas das outras, em estabelecimentos de Bangcoc listados no guia Michelin nos últimos três anos:

Jay Fai

Jay Fai e sua cozinha hipnótica - Larissa Coldibeli  - Larissa Coldibeli
Jay Fai e sua cozinha hipnótica
Imagem: Larissa Coldibeli

A septuagenária cozinheira que começou numa barraca de rua foi alçada à fama internacional ano passado, após o documentário "Street Food", da Netflix. Mas, antes disso, seu talento à frente da frigideira wok já havia sido reconhecido com uma estrela do guia Michelin.

Desde então, seu restaurante - que tem a cozinha na calçada, onde clientes e curiosos se aglomeram para vê-la cozinhando com seus óculos estilosos diante das labaredas do fogo alimentado por carvão - ficou ainda mais badalado.

Omelete de caranguejo, prato famoso da Jay Fai e da culinária tailandesa - Getty Images - Getty Images
Omelete de caranguejo, prato famoso da Jay Fai e da culinária tailandesa
Imagem: Getty Images

O prato de destaque é a omelete de caranguejo, com porções fartas de carne. Para prová-la, é preciso planejamento (o que faltou no meu caso): é necessário retirar uma senha às 11 horas da manhã (o serviço começa apenas às 13h30) e reservas devem ser feitas com, no mínimo, três meses de antecedência.

Ambiente simples da Jay Fai - Larissa Coldibeli  - Larissa Coldibeli
Ambiente simples da Jay Fai
Imagem: Larissa Coldibeli

Apesar da aparência simples do local, que é um mix de barraca de rua com restaurante, os preços são de um restaurante estrelado. A omelete de caranguejo custa 1.000 bahts, cerca de R$ 135. Quem prova, garante que vale a pena.

Lay Lao

Ambiente confortável do Lay Lao - Larissa Coldibeli  - Larissa Coldibeli
Ambiente confortável do Lay Lao
Imagem: Larissa Coldibeli

O restaurante familiar tem receitas típicas da culinária tailandesa, como noodles (macarrão) com frutos do mar e uma macia carne de pescoço de porco. Aqui, o ambiente é de um restaurante de verdade, com um bem-vindo ar-condicionado no calor de mais de 30 ºC de Bangcoc. São duas unidades na cidade: uma de rua, no bairro hipster Ari, e uma recém-inaugurada no shopping de luxo Iconsiam.

Macarrão frito com camarão do Lay Lao - Larissa Coldibeli  - Larissa Coldibeli
Macarrão frito com camarão do Lay Lao
Imagem: Larissa Coldibeli

Além do ambiente confortável, os preços também são mais convidativos, com o apimentado macarrão frito com camarão a 165 bahts (cerca de R$ 22), o pescoço de porco a 145 bahts (em torno de R$ 20) e a tradicional salada tailandesa de mamão papaya verde a 85 bahts (cerca de R$ 12). Por causa do bom custo-benefício, está na lista Bib Gourmand do guia Michelin e mereceu duas visitas, ganhando o posto de favorito desta lista.

Guay Jub Ouan Pochana

Barraca de rua Guay Jub Ouan Pochana - Larissa Coldibeli  - Larissa Coldibeli
Barraca de rua Guay Jub Ouan Pochana
Imagem: Larissa Coldibeli

Essa é uma barraca de comida de rua "raiz", que oferece apenas um prato a preço módico. O endereço fica em Chinatown, bairro que fica tomado pelas barracas quando a noite cai. Por isso mesmo, não espere por conforto (nem muita higiene). As calçadas são ocupadas por mesas e cadeiras e, na rua, uma horda de turistas tira fotos e faz fila para provar a especialidade da casa.

Uma faixa na parede faz as vezes de cardápio e anuncia o prato único: sopa de macarrão chinês e barriga de porco. A porção pequena custa 50 bahts (menos de R$ 7) e a grande, 100 bahts (cerca de R$ 14). Para adicionar um ovo cozido, acrescente mais 10 bahts (R$ 1,35).

Sopa de macarrão chinês e barriga de porco - Larissa Coldibeli  - Larissa Coldibeli
Sopa de macarrão chinês e barriga de porco
Imagem: Larissa Coldibeli

Confesso que o chamou a minha atenção foi a barriga de porco suculenta, carnuda e crocante, pois o caldo quente e apimentado nem sempre desce tão fácil no calor de Bangcoc. Mas, por essa ninharia, vale a pena experimentar.