Topo

Receitas


Escolhida com atenção e na medida certa, pimenta é boa aliada na cozinha

Não é qualquer pimenta que combina com qualquer prato, é importante entender as variedades - Getty Images
Não é qualquer pimenta que combina com qualquer prato, é importante entender as variedades Imagem: Getty Images

Pedro Fonseca

Do UOL

04/11/2019 04h00

A pimenta é elemento marcante na culinária de diferentes países do mundo, como México, Índia e Brasil e sua variedade é imensa - assim como os graus de ardência. A iguaria, porém, tem seus segredos para complementar ao invés de "matar" os pratos.

"Assim como o sal, ela ajuda a realçar o sabor dos alimentos e, na medida certa, combina com quase todos os pratos. Depois do sal, é o tempero mais usado no mundo", lembra o chef Henrique Escabia, da marca Sabor das Índias.

As principais pimentas no Brasil são Biquinho, Bode, Buth Jolokia, Chipotle, Comari Baiana, Habanero, Jalapeño, Malagueta Vermelha e Verde e Murupi - cultivada na Amazônia e no Pará.

Getty Images/iStockphoto
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Como usar sem errar

"Conheça primeiramente a pimenta que irá usar, sua potência e seu aroma. Isso facilita saber o quanto dosar na hora de utilizar. Retirar as sementes minimiza a sensação de ardor", sugere o chef.

Existem combinações consagradas, como a pimenta biquinho em saladas e decoração de alguns pratos, por não ter ardência. Já a pimenta vermelha, por exemplo, é bem versátil, sendo utilizada em pratos salgados e também doces, como chocolate.

As bode vermelha, comari baiana e malagueta têm maior ardência e aroma mais marcante, sendo mais utilizadas em preparações salgadas e no preparo de conservas.

Por fim, a pimenta-jalapenho, por ter bastante polpa, é utilizada em tacos, nachos, lanches e petiscos, pois possui ardência e uma ótima textura e sabor.

Para o chef, não existe pimenta ruim, mas sim a quantidade certa e preparações mais indicadas para cada uma. "Diria que o importante é identificar as características positivas e realçar", diz Escabia.

Como comprar

O chef explica que, para identificar se uma pimenta está boa e fresca, ela não pode estar murcha, soltando sumo e precisa ter o "cabinho" verde.

Algumas, que são vendidas já embaladas em bandejas plásticas ou de isopor, podem ficar abafadas e começam a ficar moles e até mesmo embolorar em algumas partes.

"Uma boa pimenta geralmente é vendida a granel (solta), tem cores vibrantes, textura firme, casca lisa, cabinhos verdes e aroma de fácil percepção", explica.

Sobrou pimenta? Para aumentar sua durabilidade, pode-se fazer em casa conservas utilizando vinagre, óleo, azeite ou até mesmo desidratá-la.

Agora que já tem uma ideia sobre o universo das pimentas, que tal se jogar na cozinha e fazer algumas receitas?

Tadeu Brunelli/Divulgação
Imagem: Tadeu Brunelli/Divulgação

Neste cuscuz, as pimentas biquinho e malagueta deixam o prato mais bonito e saboroso.

Larissa Januário/Divulgação
Imagem: Larissa Januário/Divulgação

Este pão de queijo fica bem longe das receitas tradicionais graças à pimenta bode.

Reprodução TV UOL
Imagem: Reprodução TV UOL

Este semifreddo de gorgonzola e abóbora ganha sabor surpreendente com calda de pimenta.

Divulgação
Imagem: Divulgação

Na caipirinha Cinira, uma pontinha de pimenta dedo-de-moça é o suficiente para dar aquela diferença.

Divulgação/Henrique Peron
Imagem: Divulgação/Henrique Peron

Na massa e no molho deste croquete de cordeiro, a pimenta é o complemento ideal para a carne de sabor forte.

Divulgação/Parraxaxá
Imagem: Divulgação/Parraxaxá

O doce de manga ganha muita pimenta biquinho para um sabor totalmente inusitado.

Receitas