PUBLICIDADE
Topo

MMA


Dona de 2 cinturões, Amanda Nunes mira recordes para ampliar legado no UFC

Amanda Nunes posa com cinturão do UFC em dezembro de 2018 - Mike Roach/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images
Amanda Nunes posa com cinturão do UFC em dezembro de 2018 Imagem: Mike Roach/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

Ag. Fight

14/12/2019 06h00

Assim que pisar novamente no octógono, no UFC 245, neste sábado (14), Amanda Nunes vai carregar novamente nas costas o peso de ser a única campeã brasileira na organização e a responsabilidade de manter seu título mais uma vez —a atleta tupiniquim vai encarar Germaine De Randaime, pelo cinturão peso-galo (61 kg). Além dessa pressão a mais, a campeã também mira ficar mais perto de um recorde na categoria.

Imbatível por mais de quatro anos no Ultimate e considerada a maior lutadora de todos os tempos, Amanda Nunes pode ter em sua próxima luta um outro fator animador. Caso mantenha o cinturão com mais um triunfo, a brasileira vai defender pela quinta vez o posto de melhor lutadora da divisão e ficará a apenas uma de Ronda Rousey. A americana é a recordista neste quesito, com seis defesas bem-sucedidas de título.

Esse será o segundo duelo entre Amanda Nunes e Germaine De Randaime. A primeira vez que estiveram frente a frente, a brasileira ia para sua terceira luta na organização e venceu por nocaute no primeiro round.

De lá para cá, a atual campeã só perdeu um confronto, justamente o seguinte a este duelo, para Cat Zingano, até engatar a sequência que a elevaria ao posto de número um dos galos. Já a holandesa não perdeu, desde então, com cinco triunfos.

Um ano depois Amanda Nunes novamente fará uma das principais lutas do principal evento do UFC em dezembro. Em 2018, a brasileira estava no esperado combate contra Cris Cyborg, pelo cinturão peso-pena (66 kg).

A até então campeã somente dos galos, chocou o mundo e foi a primeira lutadora a nocautear a compatriota, ainda no primeiro round. Com isso, se tornou a única mulher a ter, simultaneamente, os títulos dos galos e penas do UFC.

Tanto Amanda Nunes, quanto Germaine fizeram somente um combate em 2019. A atleta tupiniquim defendeu com sucesso seu cinturão contra Holly Holm, em julho, com um nocaute avassalador ainda no primeiro round. No mesmo mês, a holandesa também faturou um triunfo da mesma maneira que sua rival, em duelo contra Aspen Ladd.

MMA