Topo

MMA


Borrachinha promete mais potência no UFC: "Vou arrancar cabeças"

Paulo Borrachinha (à direita) encara Yoel Romero no UFC 241, em Anaheim (EUA) - Joe Scarnici/Getty Images
Paulo Borrachinha (à direita) encara Yoel Romero no UFC 241, em Anaheim (EUA) Imagem: Joe Scarnici/Getty Images

Diego Ribas, em Las Vegas (EUA)

Ag. Fight

28/08/2019 11h02

Vindo de vitória sobre Yoel Romero a pouco mais de duas semanas, Paulo 'Borrachinha' precisou passar por uma cirurgia em seu braço esquerdo. O peso-médio (84 kg) sofria com uma ruptura parcial do tendão do bíceps, lesão que tornou-se crônica e, inclusive, o obrigou a cancelar duas lutas no passado recente. Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, o atleta explicou sua contusão e afirmou que voltará mais forte do que nunca ao octógono do Ultimate.

Apesar da vitória por pontos sobre o cubano no dia 17 de agosto deste ano, 'Borrachinha' já arrastava a lesão no bíceps desde março do ano passado. Em conversa com a Ag. Fight, o mineiro contou que as dores o limitavam em seus treinamentos e agora, após a operação, espera retomar sua potência total nos golpes com o braço esquerdo.

"É uma lesão que me acompanha há algum tempo. Uma ruptura parcial do tendão do bíceps no braço esquerdo. Ela foi constatada em março de 2018. Essa contusão me prejudicava bastante porque, às vezes, eu deixava de treinar por conta das dores. Depois do procedimento feito pelo médico, esse tendão não se rompe mais. Vou voltar muito mais forte e confiante. Agora eu vou arrancar cabeças no octógono!", declarou 'Borrachinha'.

Mesmo debilitado pela lesão, o lutador sabia da importância do combate contra Romero. De olho em uma chance pelo cinturão da categoria, o brasileiro precisava vencer o cubano, que estava mais bem posicionado no ranking da divisão. Próximo do 'title shot' após seu triunfo, 'Borrachinha' afirmou que terá tempo de sobra para se recuperar completamente para enfrentar o vencedor do confronto entre Robert Whittaker e Israel Adesanya, que disputam o título dos médios no dia 5 de outubro.

"Eu precisava fazer essa luta com o Romero. Venci o número um do ranking e agora sou o próximo desafiante. Sei que a próxima luta pelo cintura não vai ser tão rápida. Se o Whittaker vencer eu já sei que ele demora muito a voltar. Ele luta uma vez por ano. Mesmo se o Adesanya ganhar, ele deve pegar novembro de férias e voltar a treinar apenas em dezembro. Eu sei que a próxima disputa de título deve ser só no início do ano que vem e até lá vou estar pronto para o meu objetivo", afirmou.

Ainda que Dana White, presidente do Ultimate, não tenha confirmado oficialmente a posição do brasileiro como próximo desafiante ao título dos médios, o cartola já declarou que pagará a passagem de 'Borrachinha' para que ele veja ao vivo a disputa entre Adesanya e Whittaker no UFC Austrália. O brasileiro confirmou que estará presente no evento para consolidar seu posto e aproveitou para brincar com o mandachuva da organização.

"Eu quero ir no mesmo jatinho que o Dana White (risos). Não quero que ele pague o voo não. Com certeza eu vou estar na Austrália. Quero estar lá para pressionar meu futuro oponente, se precisar eu subo lá e pulo no octógono para mandar meu recado. Se o Adesanya ganhar não vão precisar nem me chamar para subir. Eu vou por conta própria", finalizou o mineiro.

Paulo 'Borrachinha' segue invicto em sua carreira no MMA profissional. O lutador possui um cartel de 13 vitórias, sendo 11 por nocaute ou nocaute técnico, uma por finalização e uma por decisão dos juízes. Após seu triunfo sobre Yoel Romero, o brasileiro subiu cinco posições no ranking da divisão e agora ocupa a segunda colocação, atrás apenas de Israel Adesanya.

MMA