PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Wanderlei Silva revela uso de suplemento para evitar danos cerebrais

Wanderlei Silva posa com luvas azuis do Bellator - Reprodução
Wanderlei Silva posa com luvas azuis do Bellator Imagem: Reprodução

Ag. Fight

23/08/2017 10h00

Considerado um dos esportes mais violentos do planeta, o MMA sempre teve em voga uma extensa discussão sobre os possíveis danos cerebrais que seguidos impactos na cabeça podem causar. Para os veteranos, com anos no esporte, o cenário pode se tornar ainda pior. E, talvez por isso, um velho brasileiro voltou seus olhos para essa preocupação.

Após mais de 20 anos competindo MMA profissional e com 50 lutas na carreira, Wanderlei Silva revelou que esteve no Canadá em parceria com uma empresa local e que estudou alguns dos sintomas causados pelos impactos repetitivos na cabeça. De acordo com o atleta, um suplemento vitamínico pode ser lançado para ajudar a evitar possíveis sequelas entre os lutadores.

"Tive contato com uma empresa do Canadá que estava para lançar um produto para proteger o cérebro, o "Brain Armor". Seria um suplemento que contém todas as vitaminas essenciais para o cérebro e que deveria ser tomado por todos os atletas que sofrem impacto na cabeça. Eu fui para lá e estudei um pouco os sintomas, um médico deles estava ajudando. Cheguei a tomar algumas vezes e estava querendo trazer para o Brasil. Fui a uma palestra em que o médico listou dez sintomas e eu realmente tinha alguns deles. Mas são sintomas inerentes a qualquer pessoa, como troca de humor, falha na memória, um pouco de dificuldade no sono… Algumas coisas que não são tão prejudiciais, mas atrapalham, realmente. Mas nessa vida temos que estar preparados para tudo", contou em conversa com a reportagem da Ag. Fight, antes de apontar que, apesar de praticar artes marciais desde muito jovem, não sente qualquer sequela que atrapalhe sua rotina.

"Sou um dos primeiros atletas que está competindo desde jovem, quando tinha 13 anos de idade. Não sinto sequelas. Às vezes esquecemos de alguma coisa, mas não é algo que interfira na vida da gente. E acho que todo ganho vem com algo indesejável. Mas eu me cuido bem, tomo minhas vitaminas, meus suplementos e tenho uma vida regrada. Quando a gente usa a nossa máquina como eu uso, temos que nos cuidar bem fora. Não dá para querer bagunçar. Tem que ter cuidado e se preservar ao máximo", declarou.

Após retornar ao cage depois de mais de quatro anos sem lutar e perder para Chael Sonnen no Bellator 180, Wanderlei ainda não tem data para voltar a competir. No entanto, de acordo com o brasileiro, ele pode voltar a se apresentar ainda esse ano.

"A próxima luta ainda depende, mas deve ser apenas em dezembro. Por isso estou apenas fazendo a manutenção e a divulgação de alguns eventos aqui no Brasil. Até para conseguir alavancar o nosso esporte, que continua sendo um esporte pobre e que paga pouco", afirmou.

Ex-campeão peso-médio (93 kg) do Pride, Wanderlei Silva é considerado um dos maiores atletas da história da categoria. Aos 41 anos de idade, o brasileiro coleciona na carreira um cartel com 35 vitórias, 13 derrotas um empate e uma luta sem resultado.

MMA