PUBLICIDADE
Topo

Fluminense

Presidente diz que Flu não aceitará vacinas da Conmebol: 'Antipático'

Presidente Mário Bittencourt diz que Fluminense não aceitará vacinas da Conmebol - Reprodução/SporTV
Presidente Mário Bittencourt diz que Fluminense não aceitará vacinas da Conmebol Imagem: Reprodução/SporTV

Colaboração para o UOL, em São Paulo

06/05/2021 15h43

Presidente do Fluminense, Mário Bittencourt se posicionou contra a iniciativa da Conmebol de vacinar clubes e seleções contra a covid-19.

Em entrevista ao "Seleção SporTV", o dirigente destacou a segurança do futebol em comparação a outros setores do país, e afirmou que aceitar a vacinação seria "antipático com o mundo".

"Extraoficialmente, foi nos informado que isso aconteceria, que seria oferecido - não obrigado - à nossa equipe ser vacinada. Teríamos que sair do Brasil para vacinar, porque a vacina não chegaria ao Brasil. Eu fui absolutamente contra. Acho antipático com o mundo, especialmente com o povo brasileiro. Estamos com um controle enorme, fazendo exames de dois em dois dias, extremamente seguros, dentro do possível. Eu acho que tem muitas pessoas na nossa frente que precisam ser vacinadas. Acho que a gente pode esperar", falou o presidente.

"Hoje em dia, dentro de tudo que a gente vê no país e em alguns lugares do mundo, o futebol tem sido um dos locais mais seguros de retorno de atividade. Só para você ter uma ideia, a gente fez um exame de PCR na segunda, um na terça e dois ontem. A gente vem fazendo um controle muito rígido, as entidades estão fazendo um controle muito rígido. A gente está se sentido seguro", completou.

Em relação às indefinições sobre o local do jogo de hoje, contra o Junior (COL), às 21h, Bittencourt isentou a Conmebol.

Por conta dos problemas políticos na Colômbia, o jogo foi transferido para Guayaquil, no Equador. Só que o Tricolor carioca já estava em solo colombiano, e precisou pegar novo voo para disputar a partida válida pela terceira rodada da fase de grupos da Libertadores.

"Essa paralisação aqui, a Conmebol consultou o governo colombiano, que garantiu a segurança. Chegou aqui, as coisas mudaram. Acho que o melhor lugar que a Conmebol encontrou foi Guayaquil. Apesar de todo o cansaço, estamos cumprindo tudo, o Fluminense está se dedicando bastante. Obviamente que a gente tem um desgaste físico e mental, que estamos muito mais desgastados que o adversário, mas o nosso lema é 'time de guerreiros'. Tenho certeza que vamos superar essa adversidade toda e trazer os três pontos", disse o dirigente.

"A gente não deixou isso chegar no grupo. A gente apenas manteve a rotina do grupo e foi trabalhando internamente. A gente não deixou isso chegar nos jogadores. A gente só foi apresentando a logística assim que foi acontecendo. Eu posso te garantir que do ponto de vista psicológico, estamos fazendo toda a proteção do elenco para que eles possam estar unicamente focados na partida de hoje", seguiu.

Fluminense